Desporto

Reunião com “ameaças” e em “ambiente intimidatório”, revela MAG do Sporting

A Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting acusou o Conselho Diretivo, de Bruno de Carvalho, de tentar “obrigar” uma “suposta ata” e de criar um “ambiente intimidatório”, com “ameaças”, nas reuniões dos órgãos sociais.

As críticas, feitas num comunicado esta tarde distribuída pela MAG, surgiram depois do porta-voz de Bruno de Carvalho ter prometido revelar a ata da reunião de ontem, na qual ficou marcada, para 23 de junho, uma Assembleia-Geral (AG) destitutiva.

Nesse extenso comunicado, a MAG referiu que o Conselho Diretivo, órgão liderado por Bruno de Carvalho, tentou “obrigar os membros dos outros órgãos sociais a assinar uma suposta ata da reunião” de 21 de maio.

Essa ata, indica o documento, não tinha “qualquer correspondência com o que ocorreu no decurso” desse encontro, que resultou em nada: ou melhor, na marcação de nova reunião, a realizada ontem.

“A Mesa da Assembleia Geral lamenta também profundamente as ameaças e o ambiente intimidatório criado a que foram sujeitos os seus membros e membros demissionários do Conselho Fiscal e Disciplinar nas próprias instalações do clube”, diz ainda o comunicado.

Tais factos são “inaceitáveis e não correspondem à história do Sporting”.

Reconhecendo que o clube atravessa uma “profunda instabilidade e crescente divisão”, a MAG não teve outro recurso para além de marcar a AG para destituir a direção de Bruno de Carvalho.

“Esta é a solução que mais respeita a vontade dos sócios e mais rapidamente pode reestabelecer a normalidade no e do clube, à luz do comportamento do Conselho Diretivo e a sua reiterada oposição a qualquer outra das alternativas sugeridas pela Mesa da Assembleia Geral”, concluiu este último órgão do Sporting.

Mais partilhadas da semana

Subir