Fórmula 1

Renault acredita que pode reduzir a diferença para as equipas da frente na F1

Apesar de ter perdido a sua equipa de ponta – a Red Bull Racing – para a Honda, os resonsáveis da Renault na Fórmula 1 acreditam que é possível reduzir a diferença para as duas equipas de topo da Fórmula 1; Mercedes e Ferrari.

Em declarações à publicação alemã Motor Und Sport Cyril Abitebul assume que a sua equipa está pronta para ocupar o lugar que foi da Red Bull em 2019. Isto apesar da Renault ter sido apenas quarta classificada no Campeonato do Mundo de Construtores este ano.

O ‘homem-forte’ da Renault F1 Team considera que parte da razão para os resultados da equipa esta época tem a ver com o orçamento, que admitiu ser “60 por cento menos” do que o da Campeã do Mundo Mercedes.

“No que toca a orçamento este handicap torna-se uma força. Os números que as equipas de topo gastam são inaceitáveis. Temos de projetar estas equipas delas próprias”, considera Abiteboul, para quem a sua formação tem de assumir objetivos mais realistas para 2019, que são mais encurtar a diferença do que desafiar a Red Bull Racing pelo terceiro lugar.

“Vamos esperar para ver o que acontece com a Red Bull e a Honda. A Red Bull nunca que cansa de dizer quanto boa é a Honda comparada connosco. Mas eu digo que a Toro Rosso está atrás de nós?”, sublinha o responsável da Renault para a F1.

Cyril Abiteboul diz que se a diferença a diferença para o topo, em termos de percentagem é 1,5 por cento, então deverá reduzir isso para metade no próximo ano, enfatizando que o grande problema que a Renault tem enfrentado tem a ver com o chassis, mas admitindo que o motor também precisa de ser melhorado.

“Ao motor faltam entre 15 a 20 kiolwatts em corrida. Em certas condições isso poderia ser conseguido com o chassis que a Red Bull tem. Na qualificação estimamos que o nosso défice está nos 40 kilowatts. É tão significativo como isso. No próximo ano queríamos dizer que não estamos tão longe em qualificação”, refere o responsável da Renault F1 Team.

Abiteboul está otimista numa melhoria clara da performance dos seus carros em 2019: “Não há razões para que não reduzamos a diferença para a Mercedes e para a Ferrari em termos de motor durante o inverno. Vai demorar mais tempo com o chassis”.

O francês também acredita que o binómio Nico Hulkenberg/Daniel Ricciardo vai ajudar nessa progressão, e lembra: “A Red Bull deve ter tido as suas razões para não ter deixado Daniel testar o nosso carro no Abu Dhabi. Tudo o que a Red Bull faz contra nós mostra que estamos a ir na direção certa”.

Mais partilhadas da semana

Subir