Educação

Reitor da UP emite despacho a proibir praxes académicas

O novo reitor da Universidade do Porto, António de Sousa Pereira, emitiu um despacho a proibir praxes académicas no interior das instalações da instituição de ensino. No documento, insta as associações de estudantes a desenvolver ações de “sã e calorosa integração dos novos alunos”.

“O processo de acolhimento e integração de novos estudantes reveste-se de elevada importância, no âmbito da missão da Universidade, a qual deve proporcionar as melhores condições para o início de da vida universitária aos que nela ingressam, enquadra o despacho.

No documento, e referindo-se às praxes, o reitor realça que “os atos de violência ou de coação física e psicológica sobre outros estudantes (…) configuram verdadeiros ilícitos de natureza civil, criminal e disciplinar”.

António de Sousa Pereira lembra o regulamento que qualifica as praxes como infração disciplinar. E o desrespeito pela norma pode levar à expulsão.

“Assim, renovando decisões anteriores sobre a matéria, determino que não são permitidas praxes académicas nas instalações da UP que atentem contra a dignidade, liberdade e direitos dos estudantes, nem que impliquem a diferenciação entre estudantes aderentes ou não aderentes à praxe”, refere o mesmo despacho.

O reitor insta as associações de estudantes a desenvolver ações de “sã e calorosa integração dos novos alunos”.

19Shares

Mais partilhadas da semana

Subir