Economia

PSI20 sobe 0,17% e contraria tendência das principais bolsas europeias

O PSI20, principal índice da bolsa de Lisboa, fechou a sessão de hoje a subir 0,17 por cento para 5.119,62 pontos, consolidando o máximo em três meses registado na quarta-feira.

Das 18 empresas cotadas no índice, sete subiram, uma permaneceu inalterada e dez recuaram face ao registado na quarta-feira, o valor mais elevado desde finais de julho.

Nas subidas, o destaque vai para a valorização superior a 3 por cento dos CTT e EDP Renováveis.

O PSI20 contrariou as maioria das restantes praças europeias, já que apenas Milão registou uma subida (0,21 por cento), tendo as bolsas de Londres (-1,12 por cento), Paris (-0,62 por cento), Frankfurt (-0,34 por cento) e Madrid (-0,29 por cento) desvalorizado.

Nas subidas no principal índice nacional, os CTT e a EDP Renováveis estiveram em maior destaque, com subidas de 3,77 por cento para 2,86 euros e 3,55 por cento para 10,22 euros, respetivamente.

Os CTT apresentaram na quarta-feira lucros de 22,9 milhões de euros nos primeiros três trimestres do ano, o mesmo dia em que a EDP Renováveis ganhou um contrato eólico em Massachussetts, nos Estados Unidos, juntamente com a Shell.

Hoje, no PSI20, a EDP também se valorizou acima de 1 por cento, ao registar uma subida de 1,91 por cento para 3,69 euros.

A EDP divulgou também na quarta-feira que registou lucros de 460 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2019, um aumento de 55 por cento face ao mesmo período do ano passado.

Abaixo da unidade percentual subiram ainda a Navigator (0,50 por cento para 3,23 euros), a Ibersol (0,27 por cento para 7,50 euros), o BCP (0,20 por cento para 0,20 euros) e a REN (0,19 por cento para 2,66 euros).

A empresa que permaneceu inalterada face a quarta-feira foi a Ramada, nos 6,20 euros.

Nas descidas, o maior destaque foi para a Galp Energia, que perdeu 1,89 por cento para 14,28 euros, a Pharol (1,41 por cento para 0,10 euros), a Sonae SGPS (1,26 por cento para 0,90 euros) e a Mota-Engil (1,24 por cento para 1,98 euros).

Nas perdas abaixo da unidade percentual ficaram a NOS (0,65 por cento para 5,32 euros), a Semapa (0,65 euros para 12,32 euros) – que apresenta hoje resultados -, a Corticeira Amorim (0,52 por cento para 9,65 euros), a Sonae Capital (0,42 por cento para 0,71 euros), a Altri (0,36 por cento para 5,47 euros) e a Jerónimo Martins (0,30 por cento para 15,05 euros).

As restantes bolsas europeias fecharam quase todas em queda devido à “incerteza” da China sobre a assinatura de um acordo comercial de longo prazo com os Estados Unidos.

Na quarta-feira, o presidente da Reserva Federal dos EUA, Jerome Powell, afirmou que não haverá subidas de juros enquanto a inflação se mantiver persistentemente baixa, tendo a Fed decidido por um corte de 25 pontos base na sua taxa diretora para um intervalo entre 1,50 por cento e 1,75 por cento.

Esta foi a terceira descida consecutiva dos juros este ano, num esforço para mitigar a desaceleração da economia norte-americana, mas, no seu comunicado, a Fed já não promete formalmente “agir para apoiar a expansão”, o que pode significar uma pausa nas descidas dos juros.

Em destaque

Subir