Nas Notícias

PS vence legislativas sem maioria absoluta e Aliança ultrapassa PAN

O PS venceria as legislativas sem maioria absoluta, com 37,3 por cento e mais 12,1 pontos percentuais que o PSD, revela um estudo da Eurosondagem para o Sol e Porto Canal, que coloca a Aliança à frente do PAN.

O estudo de opinião, realizado entre 10 e 14 de março e que tem uma margem de erro de 3,07 por cento, indica uma diferença 15,5 pontos percentuais entre os três partidos da esquerda (PS, CDU e BE, com 52,5 por cento) e as três forças da direita (PSD, CDS-PP e Aliança, com 37 por cento).

De acordo com a projeção global da Eurosondagem, o PS obtém 37,3 por cento, longe da maioria absoluta, mas bem à frente do PSD, que regista 25,2 por cento.

O CDS-PP volta a ser o terceiro partido mais votado, com 8,5 por cento, seguido pelo BE, com 8,1 por cento, e pela CDU, com 7,1 por cento.

A Aliança, do ex-primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, com 3,3 por cento, ultrapassa o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), que obtém 2,4 por cento, mesmo assim um resultado acima do alcançado nas legislativas de 2015, 1,4 por cento.

Na comparação com os resultados das legislativas de outubro de 2015, os socialistas sobem cinco pontos percentuais, passando de 32,3 por cento para 37,3 por cento.

O PSD e o CDS-PP, com 33,7 por cento em conjunto, recuam três pontos percentuais relativamente ao resultado alcançado em 2015 pela coligação PAF (Portugal À Frente), que registou 36,9 por cento dos votos.

A CDU e o BE descem, registando 7,1 por cento e 8,1 por cento, respetivamente. A coligação PCP-PEV tinha alcançado 8,25 por cento e perde nesta sondagem 1,1 pontos percentuais. Já os bloquistas, que tiveram 10,2 por cento, perdem dois pontos percentuais.

No estudo da Eurosondagem, 19 por cento “não sabem ou não respondem” ao inquérito e 8,1 por cento admitem votar branco, nulo ou em partidos que não constam do questionário.

O estudo da Eurosondagem para o Sol, Porto Canal, Diário de Notícias da Madeira e Diário Insular dos Açores foi realizado de 10 a 14 de março de 2019, através de “entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados”.

O universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e Regiões Autónomas, para telemóveis e telefones da rede fixa.

A amostra foi estratificada por região, tendo resultado, Norte – 18,4 por cento; Área Metropolitana do Porto – 13,0 por cento; Centro – 26,4 por cento; Área Metropolitana de Lisboa – 24,5 por cento; Sul – 9,0 por cento; Região Autónoma dos Açores – 3,9 por cento; Região Autónoma da Madeira – 4,7 por cento, num total de 1.020 entrevistas validadas.

Foram efetuadas 1.171 tentativas de entrevistas e, destas, 151 (12,9 por cento) não aceitaram colaborar no estudo de opinião.

O erro máximo da amostra é de 3,07 por cento, para um grau de probabilidade de 95,0 por cento.

Mais partilhadas da semana

Subir