Nas Notícias

Proteção Civil admite existência de casas ardidas em Monchique

O comandante operacional nacional da Proteção Civil, Duarte da Costa, admitiu, na noite de domingo, a possibilidade de haver casas queimadas no fogo que lavra desde sexta-feira no concelho de Monchique, no distrito de Faro.

Este fogo, que está ativo desde as 13:30 de sexta-feira, obrigou na noite de domingo, à retirada da população para o centro da vila, por questões de segurança.

“Num conjunto de pequenas povoações ao longo de toda a área do incêndio, pode ter havido algumas casas isoladas que terão sofrido as ações das chamas”, disse o comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Duarte da Costa, durante uma conferência de imprensa, na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em Carnaxide, Oeiras, onde foi feito o ponto de situação sobre as operações dos últimos dias.

O comandante operacional nacional (CONAC) da Proteção Civil contou que o incêndio chegou com a sua frente mais ativa à bacia de uma barragem, uma “boa condição” para que o fogo “pare aí e não haja mais projeções”, acrescentando Duarte da Costa que o combate noturno será também feito “com as forças que neste momento se deslocam de todo o país para a região algarvia”, aumentando a quantidade de operacionais no teatro de operações.

Nas próximas 24 horas “vamos tentar aproveitar aquilo que é uma inversão térmica das condições atmosféricas, muito adversas nas últimas noites, aproveitar o aumento da humidade relativa que esta noite se prevê que chegue aos 50 por cento, e um ligeiro abaixamento de temperatura, com todos os meios que se estão neste momento a dirigir para sul, nomeadamente cinco grupos de combate, força especial dos bombeiros, Forças Armadas e GNR, para que possamos durante a noite conseguir conter finalmente este incêndio que já dura há tempo demais”, explicou o CONAC.

Segundo o comandante operacional nacional da Proteção Civil tudo iria ser feito para que o incêndio fosse dominado durante a noite, apesar de não estarem reunidas as melhores condições.

“Com alguma prudência eu diria que as situações ideais para o controlo de incêndio serão, não hoje à noite, mas na noite de amanhã, em que já temos 100 por cento de humidade. Mas vamos fazer todos os possíveis, com toda a gente que temos a trabalhar para conseguirmos controlar o incêndio que deflagra neste momento naquela região (…) Temos um incêndio grande, este não o conseguimos dominar, vamos fazer tudo para o dominarmos hoje à noite”, assegurou o CONAC.

Duarte da Costa apelou às populações para que “não entrem em pânico” e que respeitem as ordens dos operacionais no terreno.

O responsável classificou o incêndio de Monchique como “preocupante, mas controlado”, destacando o mais importante: “as pessoas estão salvaguardadas”.

Mais partilhadas da semana

Subir