Educação

Professores e investigadores contestam cátedra de Passos Coelho

Há um novo grupo a contestar a indicação de Passos Coelho como professor convidado catedrático do ISCSP. Vinte e oito professores universitários e investigadores que consideram a nomeação “uma ofensa à dignidade”.

Assinando uma petição pública online, 28 professores universitários e investigadores consideram “incompreensível e inaceitável” o convite do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) a Passos Coelho para ser professor convidado catedrático.

“A atribuição do grau de catedrático a Pedro Passos Coelho, mesmo sem cadeira designada, constitui um atropelo flagrante ao estatuto da carreira docente universitária em Portugal”, alertaram os especialistas, baseando-se no Estatuto da Carreira Docente Universitária (ECDU).

No texto da petição, os promotores até referiram entender que o convite a personalidades com experiência governativa “pode ser benéfico” para o corpo docente da instituição, mas consideraram “incompreensível e inaceitável” a nomeação de Passos Coelho “à luz do ECDU e dos melhores princípios da ética pública”.

Para além de questionarem quais serão as funções do polémico professor convidado catedrático, os professores universitários e os investigadores consideram que o convite “achincalha de forma inaceitável” os “tantos” que possuem “qualificação e trabalho científico imprescindível” e se sentem “defraudados” por serem ultrapassados por um ex-governante.

“O que está em causa não é uma reação corporativa face à glorificação de alguém ‘externo’, mas sim a luta pela preservação da transparência, da decência e da equanimidade na política educativa e da ciência em Portugal”, frisa a petição.

Os promotores lembram também os doutorados que se encontram a “dar aulas sem remuneração” e a “precariedade gritante” na investigação para criticar a cátedra oferecida a um licenciado em Economia.

“A referida nomeação configura em si mesma uma ofensa à dignidade dos profissionais da ciência e do ensino em Portugal, particularmente no atual momento em que vivemos”, salientaram.

A petição pública soma mais de sete centenas de assinaturas.

O ISCSP, que está integrado na Universidade de Lisboa, é presidido por Manuel Meirinho Martins, ex-deputado do PSD.

Mais partilhadas da semana

Subir