Nas Notícias

Produtor português vence Grammy de Melhor Gravação Remisturada

A Academia Nacional de Artes de Gravação e Ciência dos Estados Unidos atribuiu prémios em 84 categorias. Um dos grandes vencedores foi um produtor português, André Allen, o primeiro lusitano a ser distinguido com um dos prémios mais cobiçados do mundo da música.

O produtor português André Allen Anjos venceu o Grammy de Best Remixed Recording (Melhor Gravação Remisturada). É, então, o primeiro lusitano a ser distinguido com um Grammy.

Em 2005, André Allen Anjos trocou o Porto pelos Estados Unidos. Agora, passados 12 anos é um dos grandes vencedores da 59.ª edição dos Grammy, na categoria de Best Remixed Recording com um ‘remix’ do tema ‘Tearing me up’, de Bob Moses. A cerimónia decorreu na cidade de Los Angeles e foi acompanhada em direto por milhões de telespectadores.

“Há dez anos inicie este projeto no quarto do dormitório [da universidade] e nunca pensei que estaria aqui. Isto é de loucos”, partilhou, ao receber o prémio.

O produtor português é um dos fundadores do coletivo RAC (Remix Artist Collective). Esta foi já a sua segunda nomeação nos Grammy. A primeira foi em 2015, na mesma categoria, com uma remistura do tema ‘Say my name’, numa colaboração da dulpa de eletrónica norte-americana Odesza com a inglesa Zyra.

Em 2012, numa entrevista ao P3, contou que durante dois anos “tentou vingar na indústria musical em Portugal, mas as suas tentativas nunca deram resultados, pelo menos a curto prazo, por isso não hesitou quando teve a oportunidade de continuar os seus estudos no estrangeiro”.

A primeira remistura dos RAC foi do tema ‘Sleeping Lessons’, dos The Shins. No entanto, no currículo dos RAC encontramos remisturas de músicas de Yeah Yeah Yeahs, Kings of Leon, Landa del Rey, Two Door Cinema Club, Radiohead e Lady Gaga.

Confira aqui a remistura que deu a vitória a André Allen Anjos:

 

10Shares

Mais partilhadas da semana

Subir