Europa

Primeira-ministra britânica conclui que continua sem apoio para aprovar Acordo de saída

A primeira-ministra britânica, Theresa May, admitiu hoje que o governo continua sem apoio suficiente para fazer aprovar no parlamento o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE), mantendo-se incerto quando o fará.

“É com grande pesar que tive que concluir que, da maneira como as coisas estão, ainda não há apoio suficiente na Câmara [dos Comuns] para trazer de volta o Acordo para um terceiro ‘voto significativo'”, afirmou Theresa May.

May disse que continua a ter discussões com líderes e deputados de todos os partidos para tentar encontrar um consenso, mas alertou para o risco de o parlamento votar uma proposta que lhe dá precedência sobre o governo para agendar um debate sobre o Brexit e alternativas.

Pelo contrário, prometeu que o governo criaria tempo para os chamados “votos alternativos” terem lugar, a primeira-ministra se tenha manifestado “cética” sobre este tipo de processo.

“Quando experimentámos este tipo de coisas no passado, produziram resultados contraditórios ou nenhuma conclusão”, avisou.

Na semana passada, o Conselho Europeu concordou com uma prorrogação da data de saída do Reino Unido da UE até 22 de maio de 2019, desde que o Acordo de Saída seja aprovado pela Câmara dos Comuns até sexta-feira.

Se não acontecer, o Conselho Europeu estipulou uma prorrogação até 12 de abril de 2019 e disse que esperava que o Reino Unido indicasse um caminho a seguir antes de 12 de abril de 2019 para a consideração dos líderes europeus.

O Acordo foi chumbado a 12 de março por 391 votos contra e 242 votos a favor, uma diferença de 149 votos, repetindo o chumbo de janeiro por 432 votos contra e 202 contra, uma margem histórica de 230 votos.

Mais partilhadas da semana

Subir