Mundo

Presidentes turco e russo pedem moderação a Irão e EUA

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e o seu homólogo russo, Vladimir Putin, pediram hoje a todos os envolvidos para “agirem com moderação” e porem fim à escalada de tensões entre os Estados Unidos e o Irão.

“Afirmamos o nosso compromisso de aliviar as tensões na região e exortamos todas as partes a agir com moderação e bom senso e a dar prioridade à diplomacia”, disseram os dois presidentes em comunicado conjunto após um encontro dos dois em Istambul.

Mais de uma dúzia de mísseis iranianos foram lançados na quarta-feira de madrugada contra duas bases iraquianas, em Ain al-Assad e Arbil, que albergam tropas norte-americanas.

Esta ação foi assumida pelos Guardas da Revolução iranianos como uma “operação de vingança” da morte do general Qassem Soleimani, comandante da força de elite Al-Quds, que morreu na sexta-feira num ataque aéreo em Bagdad, capital do Iraque, ordenado pelo Presidente dos EUA, Donald Trump.

Numa primeira reação ao ataque iraniano desta madrugada, Trump disse que estava “tudo bem”, numa mensagem publicada na rede social Twitter, e sublinhou estar em curso a avaliação de vítimas e danos, prometendo pronunciar-se hoje sobre a situação.

A televisão estatal iraniana referiu que esta operação militar foi designada “Mártir Soleimani” e desencadeada pela divisão aeroespacial dos Guardas da Revolução, que controlam o programa de mísseis iranianos.

A base aérea de Ain al-Assad foi a primeira utilizada pelos forças militares norte-americanas após a invasão do Iraque em 2003 destinada a derrubar Saddam Hussein. As forças dos EUA permaneceram estacionadas no local quando foi desencadeado o combate no Iraque e na Síria contra o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

O Irão ameaçou ainda atacar “o interior dos EUA”, “Israel” e “aliados dos EUA”, segundo os Guardas da Revolução, na eventualidade de haver uma retaliação norte-americana.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir