Desporto

“Preferia ver o estádio cheio só com adeptos do Vitória”, refere Amorim

Técnico do Sporting faz antevisão do jogo com o Vitória de Guimarães e destaca a ausência de público na bancada.

Em conferência de imprensa de antevisão do encontro contra o Vitória de Guimarães, Rúben Amorim admite que o período de paragem do campeonato fez bem aos jogadores do Sporting.

Para o técnico leonino, o grupo de trabalho necessitava de “limpar a cabeça” e revela que os três meses sem competição o permitiram conhecer melhor tudo o que rodeia o Sporting.

“Foram três meses atípicos, mas deu-nos tempo para ver como funciona o clube, os jogadores, fazer um trabalho especifico com os jovens da formação. Nesse sentido foi bom”, afirmou Rúben Amorim, acrescentando que necessita de mais encontros para saber “em que estado está” a equipa.

Em relação ao Vitória de Guimarães, o técnico destaca a qualidade da equipa treinada por Ivo Vieira e assegura que jogar no D. Afonso Henriques vazio não trará vantagens para ninguém.

“Preferia ver o estádio cheio só com adeptos do Vitória. O ambiente faz parte da nossa vida e faz parte do futebol”, salientou.

Confirmando que Wendel, por lesão, está indisponível para o jogo desta quinta-feira, Rúben Amorim foi questionado sobre se Matheus Nunes, jovem futebolista elogiado por Frederico Varandas irá ser aposta.

Não confirmando se será opção, o técnico prefere destacar a confiança que o presidente leonino tem nos jovens jogadores do clube leonino.

“Sobre mim não, a pressão é sempre a mesma. O que o Nunes vai pagar é, felizmente, uma casa a mãe. O que ele tem que pensar é quando a bola rolar e com a camisola. É bom o Sporting ter um presidente que acredita nestes miúdos”, indicou.

Por fim, o treinador do Sporting não pensa que haverá muitas mudanças da forma como o futebol será jogado e visto, já que todos os intervenientes estão a ser controlados.

O Vitória de Guimarães-Sporting está marcado para esta quinta-feira, às 21h15.

0Shares

Em destaque

Subir