Economia

PPP atingiram em 2016 um recorde de cinco anos: Pagámos 1703 milhões de euros

As parcerias público-privadas (PPP) custaram aos cofres públicos, só no ano passado, 1703 milhões de euros. É o valor mais alto pago nos últimos cinco anos e que se deve ao aumento dos encargos da Infraestruturas de Portugal para com as concessionárias de autoestradas, que subiram 14 por cento.

Os números constam no relatório anual da Unidade Técnica de Acompanhamento de Projeto (UTAP), a entidade do Ministério das Finanças que monitoriza os custos das PPP.

Em 2016, a despesa do Estado Português com as PPP rodoviárias, ferroviárias, de saúde e de segurança ficou um por cento acima do valor apontado em Orçamento de Estado.

Em relação a 2015, os custos com as PPP dispararam 12 por cento.

Os 1703 milhões de euros pagos no ano passado foram o encargo mais alto nos últimos cinco anos. Para se encontrar um valor aproximado é preciso recuar a 2011, quando as PPP tiveram um custo superior a 1800 milhões.

As concessões rodoviárias são responsáveis por cerca de dois terços do total, tendo custado no ano passado 1211 milhões de euros, uma subida de 16 por cento face a 2015.

Enquanto pagou mais de 1551 milhões de euros de encargos brutos às concessionárias, a Infraestruturas de Portugal só recebeu 340,4 milhões como receitas de portagens.

A única boa notícia é que no ano passado se atingiu “o pico dos encargos líquidos com as PPP rodoviárias”, com a UTAP a prever para este ano um alívio dos custos até aos 1686 milhões de euros.

Mais partilhadas da semana

Subir