Desporto

Portugal leva 18 atletas com muita ambição para os Mundiais de judo

Os 18 judocas da seleção portuguesa que vai participar no Campeonato do Mundo de 2019, em Tóquio, prometeram hoje ambição para conquistar medalhas e brilhar na cidade que vai acolher os Jogos Olímpicos, durante a apresentação oficial.

Com o lote máximo de atletas permitido pela Federação Internacional de Judo (FIJ), Portugal estará representado por Catarina Costa (-48 kg), Joana Diogo (-52 kg), Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro (-57 kg), Wilsa Gomes (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg), Yahima Ramirez (-78 kg), Patrícia Sampaio (-78 kg), Rochele Nunes (+78 kg), Miguel Pisco (-60 kg), Rodrigo Lopes (-60 kg), João Crisóstomo (-66 kg), Sergiu Oleinic (-66 kg), Jorge Fernandes (-73 kg), Nuno Saraiva (-73 kg), Anri Egutidze (-81 kg), Carlos Luz (-81 kg) e Jorge Fonseca (-100 kg).

“Esperamos que deem o vosso máximo como até aqui. Estão aqui por mérito e queremos que saibam que a federação vai estar a apoiar-vos, quer o Mundial corra bem ou corra mal”, afirmou o presidente da Federação Portuguesa de Judo, Jorge Fernandes, que sublinhou ainda que “a preparação já vem de há muitos anos e, por isso, muitos já têm resultados”.

A principal figura do grupo é Telma Monteiro, a única a contar com medalhas nesta competição e que chega motivada pelo bronze recentemente alcançado nos Jogos Europeus de Minsk. Sobre as expectativas que recaem sobre o seu desempenho, a judoca, de 33 anos, garantiu estar “tranquila” e a encarar de forma positiva a pressão para a prova.

“Em todos os Mundiais em que competi tinha sempre possibilidade de ganhar medalha. Consegui em cinco ocasiões. Embora tenha consciência da dificuldade e do valor das minhas adversárias, também tenho consciência do meu valor e quando entrar para o tapete é isso que vai contar. Estou habituada a grandes momentos e sinto que nasci para isso, para grandes desafios. Gosto dessa pressão, desses grandes palcos”, afirmou.

Entre a equipa masculina destaca-se Jorge Fonseca, que conseguiu em julho a medalha de bronze na categoria de -100 kg no Grande Prémio de Zagreb e ocupa atualmente o oitavo lugar no ranking.

“Andava um pouco frustrado e esse resultado ajudou-me bastante. Espero estar muito confiante no Mundial. A minha motivação neste momento é chegar ao Mundial e fazer um grande resultado: chegar ao pódio”, assinalou.

Confrontado com o estatuto de cabeça de série, o judoca, de 26 anos, salientou não ter alterado a preparação, apesar da maior confiança adquirida com esse resultado.

“A minha preparação é sempre a mesma, independentemente do lugar em que estou no ranking. Não estou preocupado por ser ou não cabeça de série. Tenho de chegar ali, ‘bater neles’ e trazer a minha medalha”, disse Jorge Fonseca.

A orientar os atletas vão estar presentes os treinadores Ana Hormigo, Tsuyoshi Tsunoda e Pedro Soares, com este último a realçar a dupla pressão de ser um Campeonato do Mundo que ocorre a um ano dos Jogos de Tóquio2020 e cujos resultados influenciam de forma decisiva a qualificação.

“É a segunda competição mais importante na carreira de um atleta e é um Mundial que acontece a um ano dos Jogos. Por inerência, o resultado neste Campeonato influencia também a qualificação olímpica. Portanto, um bom resultado é um salto muito grande, é ‘meio caminho andado’ para os Jogos”, explicou o treinador português.

A seleção nacional parte sexta-feira e chega no sábado a Kaga, no Japão, onde permanecerá até à partida para Tóquio, no dia 23.

O Campeonato do Mundo de Judo decorre na capital nipónica entre 25 de agosto e 01 de setembro, reunindo um total de 917 atletas de 152 países, que vão disputar as provas individuais masculina e feminina e a prova mista de equipas.

Mais partilhadas da semana

Subir