Nas Notícias

Portugal está mais envelhecido e tem mais imigrantes, segundo os Censos 2011

idoso jovemPortugal viu crescer a população residente em dois por cento, nos últimos 10 anos, segundo os Censos 2011 agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mas a população está mais envelhecida e conta com mais estrangeiros.

Os resultados definitivos do Censos 2011 apresentados em Lisboa revelam que Portugal tem mais idosos do que tinha em 2001, indica o INE, que aponta um crescimento da população residente, em virtude, sobretudo, da imigração.

Esse aumento de população deve-se, sobretudo, devido a um “saldo migratório positivo de 188 652” pessoas. Há mais estrangeiros a residir em Portugal, o que ajuda de forma significativa para o aumento de dois por cento de residentes.

No entanto, o Censos 2011 mostra que o saldo natural – paralelismo entre o número de nascimentos e o número de óbitos – é positivo. Nasceram mais 7409 pessoas do que as que morreram, na última década.

Vivem em Portugal 129 idosos para cada cem jovens, o que transmite a ideia de uma população envelhecida. Há 15 por cento de jovens, em 2011, quando há uma década esse número era ligeiramente superior: 16 por cento. Já a percentagem de idosos subiu de forma mais significativa: de 16 para 19 por cento.

Outro facto a destacar nestes resultados definitivos dos Censos 2011 é a desertificação no interior do país aumentou na última década. Metade da população residente concentra-se em 33 dos 308 municípios do país.

Na última década, continuou a assistir-se à perda de população nos municípios do interior e ao efeito de concentração da população nos municípios do litoral.

De acordo com os Censos 2011, cerca de 50 por cento da população concentra-se em 33 municípios do país. Na década terminada em 2001, 171 municípios tinham perdido população; já no que se refere à última década, o número de municípios cuja população decresceu subiu para 198”, destaca o INE.

Estes dois factos associados – aumento de idosos e desertificação do país – revelam uma realidade para a qual outras entidades já tinham alertado: o isolamento dos idosos.

Em destaque

Subir