Nas Notícias

Portugal colocou 1.000 milhões de euros em dívida a três e a 11 meses a juros ainda mais negativos

Portugal colocou hoje 1.000 milhões de euros, montante máximo anunciado em Bilhetes do Tesouro (BT) a três e a 11 meses, a taxas de juro ainda mais negativas nos dois prazos, foi anunciado.

De acordo com a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, a 11 meses foram colocados 750 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,557 por cento, mais negativa do que a registada em 19 de junho, quando foram colocados 1.000 milhões de euros em BT a -0,395 por cento.

A três meses foram colocados hoje 250 milhões de euros em BT à taxa média de -0,563 por cento, mais negativa do que a verificada em 19 de junho, quando foram colocados 250 milhões de euros a -0,425 por cento.

A procura atingiu 1.090 milhões de euros para os BT a 11 meses, 4,36 vezes superior ao montante colocado, e 1.535 milhões de euros para os BT a três meses, 2,05 vezes o montante colocado.

A procura no duplo leilão de hoje foi maior que na última emissão comparável, de 19 de junho, quando atingiu 1.705 milhões de euros para os BT a 11 meses, uma procura 1,71 vezes superior ao montante colocado, e 775 milhões de euros para os BT a três meses, 3,10 vezes o montante colocado.

O IGCP tinha já anunciado que os BT a serem leiloados hoje têm maturidades em 22 de novembro de 2019 (três meses) e 17 de julho de 2020 (11 meses) e que o montante indicativo global era entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros.

No último leilão comparável, em 19 de junho, Portugal colocou 1.250 milhões de euros, montante máximo anunciado, em BT a três e a 11 meses, a taxas de juro mais negativas nos dois prazos.

Mais partilhadas da semana

Subir