Local

Porto e Lisboa com 13.183 mil processos de licenciamento de casas em 2017 e 2018

Lisboa e Porto registaram 13.183 fogos que entraram em processo de licenciamento em 2017 e 2018, num total de 1.706 projetos residenciais, de acordo com dados da consultora Confidencial Imobiliário.

Em comunicado, a consultora adianta que Lisboa conta com o maior número de licenciamentos e projetos na área residencial, com uma carteira que “nesse período de dois anos ascendeu a 7.517 num total de 876 projetos”.

O Porto, por sua vez, “registou a entrada de 5.666 fogos em processo de licenciamento, um volume que se distribui por 830 projetos residenciais”, segundo a Confidencial Imobiliário.

Analisando os dados referentes ao Porto, a consultora conclui que a reabilitação domina na cidade, “concentrando dois terços dos projetos contabilizados nestes dois anos (66 por cento, ou seja, 550 projetos) e cerca de metade dos fogos (51 por cento, ou seja, 2887 unidades). A construção nova gera, assim, 2.779 fogos distribuídos por 280 projetos”, refere a Confidencial Imobiliário.

Por outro lado, “são os fogos de pequena dimensão (T0 e T1) que predominam” na carteira em desenvolvimento no concelho, “concentrando 62 por cento das unidades nos últimos dois anos, o que não é alheio ao facto de quase metade (42 por cento) de toda a carteira do concelho nesse período se concentrar na zona da Baixa e Centro Histórico”, refere a mesma fonte.

Estes dados são apurados pela Confidencial Imobiliário graças à base de dados ‘Pipeline’ Imobiliário, um sistema estatístico tem por base os pré-certificados energéticos emitidos pela ADENE – Agência para a Energia, que são obrigatórios em todos os projetos.

Esta semana, a APEMIP – Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal divulgou que as vendas de casas em Portugal aumentaram 7,6 por cento no primeiro trimestre, face ao período homólogo, para 43.826 alojamentos familiares transacionados.

Estes valores, compilados pelo gabinete de estudos da entidade, são ainda assim inferiores em 5,6 por cento em relação ao trimestre anterior.

Entre janeiro e março de 2019, o valor das vendas ascendeu aos 6,1 mil milhões de euros, um aumento de 12,9 por cento face a igual período de 2018, indicou a entidade.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir