Smartphones

Pondere uma destas marcas chinesas antes de gastar uma fortuna num smartphone

Os smartphone das três principais marcas, Apple, Samsung e Huawei estão cada vez mais caros e cada vez menos acessíveis à maioria do público. Apesar das tecnologias introduzidas nestes equipamentos serem das mais avançadas, pode não compensar gastar tanto dinheiro num smartphone.

As marcas chinesas sempre tiveram opções em conta no mercado dos dispositivos móveis. Mas, na verdade, a qualidade dos aparelhos deixava muito a desejar, tal era a fraca qualidade de construção e as opções técnicas muito aquém o necessário para as exigências do sistema operativo.

Mas as coisas têm mudado, e mudado para melhor, muito melhor. As marcas chinesas têm evoluído bastante bem no segmento dos smartphones, e já nem vamos falar da Huawei, uma vez que os preços desta já acompanham o preço dos restantes topos de gama.

Vamos falar de marcas como a Xiaomi, UMIDIGI, Cubot, ZTE ou a Vivo. Em qualquer destas marcas é possível adquirir equipamentos de gama alta por pouco mais de 200 euros, e de gama média por pouco mais de 100 euros. E estamos a falar de equipamentos com características técnicas equivalentes aos bem conhecidos topos de gama.

Por exemplo, e para quem procura um telefone avançado e não está para gastar 1000 euros, o UMIDIGI Z2 pode ser adquirido por pouco mais de 200 euros com características invejáveis: Ecrã de 6.2 polegadas, processador Octa-core a 2.0GHz, 64GB de armazenamento, 6GB de RAM, bateria de 3850mAh e câmara de 16MP.

Características semelhantes a estas é possível encontrar num Xiaomi, num Bluboo ou num Nubia, da ZTE, e, em qualquer um dos casos, os preços não chegam sequer aos 250 euros. Estes equipamentos podem ser adquiridos online em qualquer uma das lojas conhecidas, Amazon, AliExpress ou GearBest.

Claro que, estes equipamentos não são perfeitos, sendo que um dos seus principais “defeitos” é o facto de estes não receberem atualizações do Android regularmente. Isso deve-se, sobretudo, à marca de processadores neles introduzidos, a MediaTek – que não garante updates no Android.

Apesar disso, e para utilizadores que não liguem aos updates ou para outros mais avançados que os conseguem fazer por conta própria, estes equipamentos de marcas chinesas são cada vez mais uma opção a ter em conta antes de gastarmos uma fortuna num smartphone.

Mais partilhadas da semana

Subir