Motores

Pódio perdido de forma inglória para Beirão da Veiga e Félix da Costa

Lourenço Beirão da Veiga e António Félix da Costa podiam ter subido ao pódio na segunda corrida do International GT Open, depois do sétimo lugar obtido no primeiro confronto. A dupla apostou tudo na corrida de domingo, o piloto de Cascais conseguiu o brilharete de rodar no terceiro posto mas um problema na pressão de óleo do motor do BMW M5 GT3 da Costa Campos Racing deitou tudo a perder.

Assim, em vez de um terceiro posto mais do que merecido, Lourenço e António saíram do Autódromo do Estoril com um abandono que não espelha a exibição.

Apesar de desiludido com o sucedido, António Félix da Costa agradeceu “o apoio de todas as pessoas” que foram apoiar a equipa. “Ontem fizemos a corrida possível, mas hoje com as alterações que fizemos no set up do nosso carro, estava muito confiante e acho que podíamos até ter lutado pela vitória”, considerou ainda o piloto de Cascais.

“Quero agradecer este convite do Team Costa Campos racing e espero regressar à equipa este ano quando tiver essa possibilidade”, referiu o piloto de 25 anos, que tem na Fórmula E a sua prioridade nesta temporada, além do trabalho de desenvolvimento do carro da BMW para o WEC, com vista à entrada da marca de Munique para o Mundial de Resistência de 2018

Igualmente desiludido, Lourenço Beirão da Veiga mostrou ainda assim agradado com “o bom andamento” demonstrado. “Não foi o inicio desejado, mas claramente temos todas as armas para lutar pelos primeiros lugares no GT Open. Perdemos um pódio de uma forma inglória, o António estava a fazer uma corrida brilhante, enfim, as corridas são mesmo assim, olhos postos na próxima corrida de Spa Francorchamps”, acrescentou o piloto da Costa Campos Racing.

4Shares

Mais partilhadas da semana

Subir