Nas Notícias

PM são-tomense considera Campus da Matemática Gulbenkian “iniciativa para continuar”

O primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, considerou hoje a primeira edição do Campus da Matemática Gulbenkian como “uma responsabilidade muito grande que é para continuar”.

“Está lançado o campus, as sementes, agora precisamos de regá-las”, disse o chefe do executivo são-tomense que considerou os organizadores e alunos “o embrião, a nata de todo esse processo. É uma responsabilidade de muito grande que é para continuar”.

O chefe do executivo falava no encerramento do evento, organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian em parceria como o Ministério são-tomense da Educação e Ensino Superior, sublinhando que o seu governo vai incentivar a matemática como “disciplina basilar do ensino das ciências”.

“A minha presença aqui, enquanto presença do governo, que acarinha este projeto, é precisamente para dizer a Gulbenkian e a cooperação portuguesa que nós também vinculamos e colocamos aqui o nosso carimbo de responsabilidade, neste projeto que para nós é crucial”, explicou Jorge Bom Jesus.

A representante da Gulbenkian, Maria Hermínia Cabral reconheceu que a iniciativa constituiu “uma experiência única”.

“Esta linha de intervenção pretende contribuir para o reforço do papel basilar e estruturante que a matemática tem no ensino e na formação de outras ciências básicas e das ciências aplicadas”, referiu, por seu lado, Isalda Domingos, da Sociedade Portuguesa Matemática.

Estudantes de sete escolas do país que vão frequentar o 10º ano participaram no evento.

O reitor da Universidade Publica de São Tomé, Peregrino Costa, considerou este “um momento ímpar no sistema de ensino do país.

“Eventos dessa natureza só vêm trazer novas valias no sentido de inverter o velho tabu de que se trata de uma disciplina impossível de compreender”, disse Peregrino Costa

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir