Cultura

Playboy retoma a sua verdadeira natureza e volta a incluir a nudez na revista

Em tempos era uma revista famosa pelas suas imagens eróticas. Nos últimos anos, a Playboy decidiu deixar a nudez de lado. No entanto, isso agora vai mudar e a revista irá recuperar a nudez já na próxima edição, numa tentativa de recuperar a sua identidade e verdadeira natureza.

Foi no ano passado que uma das revistas mais icónicas do mundo tomou uma decisão histórica: a retirada de imagens de nudez das suas páginas, após ter uma aplicação sem nudez.

No entanto, esta segunda-feira, a revista Playboy anunciou que voltará a ter fotografias de mulheres nuas, um ano depois de a publicação ter vetado a nudez nas suas páginas. Cooper Hefner, filho do fundador da Playboy e diretor da marca (Hugh Hefner), de 25 anos, anunciou no Twitter que a revista voltará a recuperar a sua identidade e verdadeira natureza, assumindo que retirar a nudez foi um erro.

“Sou o primeiro a admitir que a forma como a revista retratava a nudez estava datada, mas remover inteiramente foi um erro. A nudez nunca foi um problema porque a nudez não é um problema. Hoje vamos recuperar a nossa identidade e reclamar quem somos”.

Ao ‘Huffington Post’ Cooper Hefner explicou que esta nova postura da Playboy “é um reflexo de como a marca se pode ligar à minha geração e às gerações vindouras”.

Assim, a edição de março/abril marca o regresso da nudez à revista, com o título “Nudez é normal”, cuja ‘hashtag’ já foi criada.

Face à concorrência da internet, a Playboy decidiu há um ano atrás que seria melhor apostar em fotografias sensuais sem nudez, uma vez que os leitores poderiam encontrar algo mais do que a revista proporcionava à distância de um clique e numa tentativa que as pessoas lessem os seus artigos.

Mais partilhadas da semana

Subir