Economia

Pires de Lima sugere ao Governo voucher de 500 euros por família para férias

António Pires de Lima, antigo ministro da Economia, defendeu que o Governo deve dar a cada família um voucher, num valor de até 500 euros, para férias em território nacional.

O antigo dirigente do CDS explicou as condições desse voucher, num artigo de opinião para o Observador.

Válido entre julho e setembro de 2020, o valor do voucher, “modulável” em função da dimensão do agregado, só poderia ser descontado em unidades hoteleiras e de alojamento local em Portugal.

A medida é proposta para estimular o turismo, a área mais exportadora de Portugal e que emprega diretamente 337 mil pessoas.

“No total, estima-se que represente mais de 20 por cento da riqueza criada em Portugal. No verão o peso é ainda maior”, salientou o ex-ministro da Economia.

Só que o confinamento deixou o turismo com “zero clientes de março a maio”, com a previsão de recuperação a ser “desesperadamente lenta”, face ao “medo e pouco dinheiro” dos portugueses e ao controlo das fronteiras.

“Se já era óbvio que o setor do turismo precisava de apoios específicos para além de junho, parece-me indesculpável agora não atuar com urgência”, insistiu Pires de Lima.

“Com um cheque de 500 euros nas mãos, os portugueses perderão o medo e sairão de casa, gozarão de alguns dias de férias em território nacional e multiplicarão o valor do cheque por outros gastos em viagens, restauração e atividades lúdicas durante esse período. O setor hoteleiro receberá um balão de oxigénio, que bem precisa, ditado não por critérios administrativos e burocráticos mas por critérios de procura e mérito”, concluiu o ex-ministro da Economia.

0Shares

Em destaque

Subir