Desporto

Pinto da Costa constituído arguido no caso dos emails

Pinto da Costa e outros seis administradores da SAD do Porto foram, esta sexta-feira, constituídos arguidos no caso dos e-mails do Benfica.

De acordo com a SIC Notícas, o presidente do FC Porto e os restantes dirigentes são suspeitos de crime de violação de correspondência e ofensa a pessoa coletiva.

Além de Pinto da Costa, também os administradores Adelino Caldeira, Fernando Gomes, Reinaldo Teles, José Américo Amorim e Rui Vieira de Sá foram constituídos arguidos pelo crime de ofensa à pessoa coletiva.

Num comunicado, publicado na página do Ministério Público, pode ler-se que “no âmbito de inquérito que teve origem numa queixa apresentada pelo Sport Lisboa e Benfica, foram, hoje, constituídos e interrogados sete arguidos”.

“Estes arguidos encontram-se indiciados pela prática do crime de ofensa a pessoa coletiva, estando, ainda, um deles indiciado pela prática crime de violação de correspondência”.

A Benfica SAD alega ter um prejuízo de milhões de euros na sequência da divulgação dos e-mails.

Entretanto, o Porto Canal foi proibido de divulgar os referidos conteúdos obtidos de forma ilícita pelo Tribunal da Relação do Porto.

O presidente portista, Pinto da Costa, e vários administradores da SAD portista, nomeadamente Fernando Gomes, compareceram hoje no DCIAP, em Lisboa, para serem ouvidos na sequência da queixa apresentada pelo Benfica sobre a divulgação de correspondência do clube da Luz.

O DCIAP esclarece ainda que este inquérito “é distinto do designado ‘caso dos e-mails’, no qual se investigam crimes de corrupção e, como já foi tornado público, tem um arguido constituído”.

Mais partilhadas da semana

Subir