Nas Notícias

Petroleiro iraniano em Gibraltar vai partir para o Mediterrâneo

O petroleiro iraniano, apresado no início de julho em Gibraltar e libertado pela justiça na quinta-feira, vai partir para o Mediterrâneo após ter mudado de pavilhão, indicou hoje o vice-diretor dos portos iranianos.

A apreensão a 4 de julho do petroleiro Grace 1 pelas autoridades de Gibraltar e a marinha britânica provocou uma crise diplomática entre Teerão e Londres, assim como represálias da República Islâmica que apresou três petroleiros, um deles com pavilhão britânico.

O Grace 1 navegará com pavilhão iraniano e já não panamiano, disse Jalil Eslami em declarações transmitidas pela televisão no Irão, adiantando que tal acontece a pedido do proprietário do navio, cujo nome passa a ser Adrian Daria.

“O navio é de origem russa e (…) transporta dois milhões de barris de petróleo iraniano”, indicou, sem precisar o destino final do petroleiro.

O navio foi arrestado por suspeita de transportar petróleo para a Síria, violando um embargo da União Europeia (UE), e o chefe do governo de Gibraltar, Fabian Picardo, disse na quinta-feira ter recebido a promessa escrita de Teerão de não enviar o petróleo para aquele país em guerra.

No entanto, o porta-voz da diplomacia iraniana, Abbas Moussavi, afirmou hoje que o seu país não tinha feito tal promessa.

Pouco antes do anúncio do tribunal de Gibraltar de que o navio tinha sido autorizado a partir, os Estados Unidos pediram o prolongamento da retenção do petroleiro e podem ainda repetir o pedido para o arrestar antes de a embarcação deixar as águas territoriais de Gibraltar.

A “tentativa de pirataria” norte-americana falhou, congratulou-se hoje na rede social Twitter o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif.

Mais partilhadas da semana

Subir