Motores

Penalização ‘roubou’ pódio a Félix da Costa na estreia pela JOTA Sport

António Félix da Costa poderia ter subido ao pódio nas 4 Horas de Silverstone, prova inaugural do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) 2019/2020, que se disputou no circuito britânico Silverstone.

O piloto português, que dividiu pela primeira vez a condução do Oreca 07 Gibson LMP2 # 38 da JOTA Sport com Anthony Davidson e Roberto Gonzalez, terminou somente na quinta posição da categoria devido ao ‘drive through’ sofrido pela equipa.

Não obstante ser a primeira vez que tripulava um LMP2 no WEC – depois de uma temporada em que representou a BMW em GTE Pro, Félix da Costa adatou-se rapidamente ao protótipo com as cores da Goodyear, que apesar de largar apenas do sétimo lugar da grelha de partida chegou a estar na discussão dos lugares de topo da categoria.

Devido a uma lesão de Davidson coube a Gonzalez a tarefa de realizar o segundo turno de condução, com o mexicano a lutar bastante para estar nas posições cimeiras dos LMP2.

Depois Félix da Costa voltou ao volante do Oreca # 38 para realizar o último turno duplo final, mas uma uma penalização numa altura de ‘safety car’, obrigou o piloto português a uma paragem extra nas boxes. O que lhe retirou a possibilidade de lutar pela segunda posição.

“Consegui concentrar-me no meu trabalho e penso que consegui estar muito rápido e mesmo sem o Anthony (Davidson) eu e o Roberto estivemos muito perto de terminar no pódio, apenas o ‘drive through’ nos roubou essa possibilidade, de qualquer forma como já disse o momento é de luto para todos nós e pouco interessa o resultado final”, referiu após o final da prova o piloto de 28 anos.

Nicolas Lapierre e Antonin Borga acabariam por vencer entre os LMP2, no Oreca 07 da Cool Racing, sendo que Félix da Costa e Roberto Gonzalez (Anthony Davidson esteve ausente devido a lesão) amealharam 10 pontos para o campeonato, que prossegue a 6 de outubro no Japão, com a disputa das 6 horas de Fuji.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir