Nas Redes

Pediatra partilha desejos comoventes de crianças em estado terminal

Um pediatra natural da Cidade do Cabo, na África do Sul, despertou o coração das redes ao partilhar os pensamentos de crianças que vivem com cuidados paliativos quando questionados sobre o que era realmente importante na vida.

Alaistair McAlpine, natural da Cidade do Cabo, comoveu o coração das redes ao partilhar aquilo que as crianças consideram mais importantes na vida.

Com uma função bastante delicada, Alaistair é responsável por ajudar aquelas crianças a viverem o pouco tempo que lhes resta com um incentivo especial de alegria.

Cansado de todo o negativismo com que é confrontado nas redes sociais, o pediatra decidiu partilhar os valores destas crianças que, com idades entre os 4 e os 9 anos, têm emocionado os cibernautas.

Naturalmente, não são mencionadas ações como ver televisão, passar tempo nas redes sociais ou em videojogos, mas antes os ‘pequenos prazeres da vida’, como ler um livro, passear e, claro, aproveitar os momentos com a família.

As publicações do pediatra, que foi louvado, têm merecido elevado destaque nas redes, sendo partilhadas milhares de vezes.

“Nenhuma das crianças desejou ver mais televisão ou passar mais tempo na Internet”, refere Alaistair. “Muitos deles mencionaram a família, expressando preocupação. ‘Deus vai tomar conta dos meus pais quando eu partir'”, disse um deles.

Numa série de longas publicações, o pediatra apela para que se leiam histórias aos mais novos e sublinha que nenhum deles se mostrou preocupado com o que as outras crianças pensam deles.

“Os meus amigos verdadeiros não se importaram quando o meu cabelo caiu”.

A finalizar, o Dr. Alaistair McAlpine deixa alguns conselhos para a ‘plenitude’, numa clara mensagem, lida por crianças, que retrata a necessidade da verificação da realidade, do equilíbrio e do que é realmente importante.

“Sejam gentis. Leiam mais livros. Passem tempo com a família. Contem piadas. Abracem o vosso cão. Digam aos vossos ente-queridos o quanto eles são especiais. Estas são as coisas que estas crianças gostavam de ter feito mais. O resto são detalhes”, escreveu.

Mais partilhadas da semana

Subir