Motociclismo

Pausa no MotoGP baralhou os planos de Valentino Rossi

Valentino Rossi confessa que a pandemia de Covid-19 acabou por baralhar os seus planos para o MotoGP após a temporada de 2020.

O piloto italiano de 41 anos não se comprometeu com uma extensão de contrato com a Yamaha no começo do ano, pois queria avaliar a sua performance após sete ou oito provas, para perceber se deveria manter-se em competição.

Esta posição acabou por custar a Rossi o seu lugar na equipa oficial para Fabio Quartararo, muito embora lhe tenha sido proposta a vaga do francês na Petronas SRT no caso do ‘Doutor’ querer continuar a correr em 2021.

Mas o atraso da temporada, devido ao coronavírus, adiou o começo da época pelo menos até junho, acaba por estragar os planos do italiano: “Isto acabou por baralhar o plano. Temos de perceber quando for possível correr. Parece que vai demorar muito tempo, porque já cancelaram o Campeonato da Europa de Futebol”.

“Por isso acho que será difícil (começar a época) antes de julho. No que diz respeito à minha escolha esperava poder decidir se continuava depois desta primeira parte da época, mas agora tudo foi alterado. Gostaria de fazer algumas corridas para perceber se posso ser competitivo. Seria importante fazer o máximo de corridas possível. Não digo que 19 corrida será fundamental”, sublinha Valentino Rossi.

O titular da Yamaha # 46 aponta algumas solução para se recuperar o tempo perdido no MotoGP: “Fazer como as Superbike com duas corridas (por fim de semana) seria interessante, mas pelo menos o mínimo de um campeonato de 13 eventos. Talvez seja suficiente fazer manter o atual formato. Vamos ver o que (Carmelo) Ezpeleta (promotor) vai decidir, mas acima de tudo tempos ver o que o vírus decide”.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir