Fórmula 1

Para Nico Hulkenberg a Renault tem “um conjunto competitivo”

Apesar dos resultados nas duas primeiras provas da época de Fórmula 1 não corresponderam aquilo a que os pilotos e os seus responsáveis desejavam, a Renault tem “um conjunto competitivo, segundo Nico Hulkenberg.

Os dois R.S. 19 abandonaram quase em simultâneo no Grande Prémio do Bahrain, pelo que a fiabilidade parece ser o grande problema dos novos carros de Enstone.

Hulkenberg, que marcou os seus primeiros seis pontos da época na Austrália, considera que o monolugar amarelo tem potencial para terminar consistentemente nos pontos e ser o melhor dos ‘outros’, dando como prova a última corrida, onde tanto o alemão como o seu companheiro de equipa, Daniel Ricciardo, seguiam no top dez quando desistiram.

“Trabalhamos, é claro, na fiabilidade para evitar que tais cenários se repitam. Disporei mesmo do meu segundo motor para o Grande Prémio da China. A Renault refez a sua MGU-K para que seja mais sólida”, adiantou Nico Hulkenberg em pleno ‘paddock’ de Xangai, onde no próximo fim de semana tem lugar o 1000º Grande Prémio da história da F1.

O piloto germânico mantém-se confiante quanto ao potencial do R.S. 16, mesmo se a diferença para as equipas de topo parece ser ainda muito grande, com a marca do losango a ocupar o sétimo lugar do Campeonato do Mundo de Construtores.

Para Hulkenberg ainda há muito a retirar do monolugar da Renault em termos de desempenho: “Ainda não conseguimos explorar o potencial do carro nas qualificações. O nosso ritmo era bom no Bahrain, já que conseguimos ultrapassar um bom número de carros e será interessante ver este fenómeno repetir-se na China este fim de semana. A diferença para equipas como a Ferrari será difícil de anular rapidamente, mas a Renault tem um conjunto competitivo”.

Outro aspeto focado em Xangai pelo piloto alemão é a nova aerodinâmica dos F1, sendo que ‘Hulk’ não se mostra muito perturbado com a existência de ‘asas’ dianteiras mais proeminentes. “Os novos carros não mudam verdadeiramente com a mudança do regulamento. É bastante semelhante ao ano passado, mesmo se há algumas pequenas coisas que evoluíram no plano aerodinâmico. Não me admiro que Daniel tenha necessidade tempo para se adaptar à sua nova ‘montada’, porque eu também senti isso quando cheguei à Renault”, observou.

1Shares

Em destaque

Subir