Motores

Ott Tanak tem de “terminar o trabalho” na Grã-Bretanha

Ott Tanak vem de um revés importante na Turquia, pelo que no Rali de Gales Grã-Bretanha precisa imperiosamente de obter um bom resultado, se possível no topo do pódio.

Chegando a terras britânicas com uma ligeira vantagem sobre os seus mais diretos rivais, Sebastien Ogier e Thierry Neuville, o estónio da Toyota está sob imensa pressão, mas reitera que tem de “terminar o trabalho” que fez quando venceu na Finlândia e na Alemanha.

No ano passado Tanak não foi feliz no País de Gales, já que partiu o radiador do seu Yaris WRC quando estava na liderança, mas agora quer acabar com o azar e impor-se pela primeira vez em terras britânicas. E as condições climatéricas que habitualmente se fazem sentir nesta altura do ano poderão favorecê-lo na primeira etapa, devido à sua posição de passagem nas especiais vantajosa.

“O Rali de Gales Grã-Bretanha é sempre muito particular”, afirma o líder do ‘Mundial’, referindo também: “É um rali de que gosto. As estradas são rápidas mas as condições tornam o percurso difícil, nomeadamente com as mudanças das condições de aderência a cada curva. Precisamos de ter confiança no carro em cada rali, mas é neste tipo de condições que isso faz a diferença”.

Embora a vitória seja aquilo que Ott Tanak mais deseja, os 17 pontos de diferença para Sebastien Ogier não lhe permitem qualquer deslize, por isso talvez lhe seja exigida uma certa gestão do andamento não correndo demasiados riscos.

“A diferença no campeonato é muito pequena, mas ainda temos três provas para disputar e sabemos que fomos rápidos em qualquer uma delas no ano passado. Temos de terminar o trabalho, a começar pelo Rali de Gales Grã-Bretanha”, acrescenta o estónio da Toyota.

1Shares

Em destaque

Subir