Motores

Ott Tanak contente pela vitória em Portugal após “um fim de semana muito difícil”

Ott Tanak pode ter celebrado a sua segunda vitória consecutiva e a terceira da época no Rali de Portugal, mas o piloto da Toyota diz que isso foi conseguido após uma prova muito complicada.

Não são só as palavras do estónio após o triunfo na prova lusa do ‘Mundial’ que testemunham como foi difícil vencer o rali. Os 15,9 segundos de diferença para o segundo classificado, Thierry Neuville, são uma confirmação do equilíbrio final.

A Toyota até pode ter gozado de um certo domínio inicial, colocando os seus três Yaris WRC nas três primeiras posições no primeiro dia, no entanto os percalços sentidos por Jari-Matti Latvala no segundo dia, e por Kris Meeke no final da prova, desfizeram por completo a ideia de que a marca japonesa sairia de Portugal com um sucesso esmagador.

Tanak e o seu navegador, Martin Jarveoja, tiveram mesmo de se aplicar para garantirem o triunfo, ainda que se quedando pelo terceiro tempo na ‘power stage’ final. Numa manobra propositada para não liderarem o Campeonato do Mundo e assim não terem de ‘limpar’ a estrada na primeira etapa do Rali da Sardenha.

“Sabe bem ter subido ao lugar mais alto do pódio. Foi um fim de semana longo e muito difícil, definitivamente o mais duro que tive na minha carreira. Desde sexta-feira a nossa performance foi muito forte, especialmente tendo em consideração a nossa posição na estrada”, diz o vencedor da prova portuguesa.

Tanak salienta também: “No sábado tivemos de lutar muito, mas tanto nesse dia como no último tudo funcionou bem e a velocidade estava lá. Na primeira especial fui cuidadoso, pois havia muito pó e a visibilidade era má, mas depois disso pude forçar o andamento com segurança e construir uma maior diferença”.

“O campeonato parece muito equilibrado, mas penso que estamos numa boa posição indo para a Sardenha”, acrescenta o piloto estónio da Toyota, que depois do triunfo em Portugal se encontra na segunda posição do ‘Mundial’, a somente dois pontos de Sebastien Ogier, que por via do melhor tempo na ‘power stage’ somou 20 pontos na prova lusa do WRC.

Mais partilhadas da semana

Subir