Nas Notícias

“Os partidos do sistema e a sua comunicação social estão cheios de medo do Chega”, diz Ventura

André Ventura acusa “uma parte da comunicação social” de estar “refém do sistema” que o Chega quer combater. E essa comunicação social “teme que o fim deste sistema seja o fim da sua sobrevivência”. Também os partidos e os políticos “estão cheios de medo do Chega”.

A polémica que envolveu o site de André Ventura – criado por Hugo Gil, um blogger benfiquista testemunha no caso e-Toupeira e proprietário de sites sensacionalistas –, merece uma reação dura do autarca de Loures, que nota na imprensa algum preconceito e uma tentativa de ligar o projeto Chega aos procedimentos de candidaturas de Jair Bolsonaro e Donald Trump.

André Ventura nota que há na imprensa “um preconceito” e que “o Chega está a assustar”.

“Acho que os partidos do sistema e a sua comunicação social afeta estão cheios de medo do Chega. Sabem que a voz popular já não se consegue calar com a censura habitual do regime e os interesses instalados”, diz, ao PT Jornal.

No entanto, o jurista não se surpreende: “Nada que não esperasse. Neste país quando se diz que quer reduzir o número de políticos eles viram-se todos contra nós. Expectável. Por isso, é bom que alguns deputados e políticos tenham mesmo medo do Chega: quando derem por isso vão ter mesmo de trabalhar… Em vez de cortar unhas ou jogar no casino online”.

O autarca considera que esta investigação para verificar quem é o autor do seu site foi um ato de espionagem “do sistema”.

“Há hoje uma parte da comunicação social refém do sistema e que teme que o fim deste sistema seja o fim da sua sobrevivência”.

André Ventura sente que o seu projeto político está sob um “intensíssimo escrutínio”.

“Percebe-se que, sendo espionagem ou não, o Chega e o André Ventura estão debaixo de intensíssimo escrutínio. Ainda bem. Só espero que façam o mesmo a todos os outros candidatos”, conclui.

Mais partilhadas da semana

Subir