Economia

OE2019: Excedente da Segurança Social aumenta para 2,9 mil ME em outubro

O excedente da Segurança Social aumentou 760,5 milhões de euros em outubro face ao período homólogo e atingiu 2,9 mil milhões de euros, um crescimento de 35,8 por cento, destaca hoje o Ministério do Trabalho.

Num comunicado sobre a Síntese de Execução Orçamental divulgada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sublinha que “o subsetor da Segurança Social continuou a reforçar a trajetória positiva ao apresentar, em outubro, um saldo global no valor de 2.882,1 milhões de euros”.

A receita da Segurança Social atingiu em outubro 24,2 mil milhões de euros, mais 1,9 mil milhões de euros ou 8,6 por cento do que em outubro de 2018.

Já a despesa foi de 21,4 mil milhões de euros, um aumento homólogo de 5,7 por cento, correspondente a mais 1,2 mil milhões de euros.

“A variação da receita continua a decorrer, essencialmente, da recuperação do mercado de trabalho registada durante a anterior legislatura, tendo a redução do desemprego, o aumento do emprego e o crescimento dos salários, a par do reforço da eficiência do sistema, tido impactos consideráveis no aumento das contribuições e quotizações”, salienta o Ministério.

As contribuições e quotizações aumentaram 8,7 por cento em outubro comparando com o mesmo período de 2018, para 14,9 mil milhões de euros.

Por sua vez, os acréscimos de despesa resultam sobretudo dos aumentos dos gastos com pensões e complementos em 702,2 milhões de euros (mais 5,4 por cento do que em outubro de 2018) para 13,6 mil milhões de euros.

Para este aumento contribuiu, entre outros fatores, “a atualização extraordinária de pensões com efeitos a janeiro de 2019, enquanto que em 2018 apenas teve início no mês de agosto”, justifica o ministério liderado por Ana Mendes Godinho.

Em sentido contrário, a despesa com prestações de desemprego caiu 4,7 por cento para 988 milhões de euros, revela a síntese da DGO.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir