Nas Notícias

OE2013 trará fome: “Vão buscar comida às misericórdias!”, incita Manuel Lemos

manuel lemos uniao misericordiasManuel Lemos, presidente da União das Misericórdias, prevê, em declarações à Lusa, o agravamento da fome, em resultado do Orçamento de Estado para o próximo ano. As IPSS, Instituições Particulares de Solidariedade Social, estão prontas para este drama. “Quem precisar pode procurar uma misericórdia de Portugal”, onde “de certeza” haverá “o que comer”, salienta.

Perante um quadro de fome, que Manuel Lemos prevê já em 2013, em virtude do agravamento das condições de vida e do desemprego, o presidente da União das Misericórdias abre as portas das IPSS para quem necessitar de ajuda, para satisfazer uma necessidade básica.

Em declarações à Lusa, Manuel Lemos diz que “o Orçamento de Estado de 2013 vai trazer mais fome”, sendo que as pessoas devem procurar as instituições de misericórdia e as IPSS, caso necessitem de apoio. “Quem precisar pode ir a uma misericórdia e a muitas IPSS onde, de certeza, terão o que comer”, sublinha o presidente da União das Misericórdias de Portugal, àquela agência noticiosa.

Manuel Lemos faz um apelo, no sentido de, perante fome, as pessoas peçam ajuda e não se encolham, por vergonha. “Vão buscar os alimentos! Vão buscar a comida!”, acentua Manuel Lemos, que salienta o facto de “Portugal perder um milhão de toneladas de alimentos por ano”.

Este número representa um “problema cultural antigo”, que é revelador de desequilíbrios sociais, com fome extrema de um lado e desperdício do outro.

A finalizar, o presidente da União das Misericórdias compreende que este cenário social possa fazer parte da luta política em Portugal, nos próximos tempos, já que o Orçamento de Estado é um fator de cisão entre partidos e associações sindicais.

Em destaque

Subir