Mundo

O peso do amor, medido em cadeados, leva Paris a evacuar ponte

ponte do amor210ponte do amorUma ponte foi evacuada e encerrada por amor, em Paris. A tradição dos apaixonados em prender um cadeado na grade causou um peso extra que ontem fez ceder parte da ‘Pont des Arts’. Pela capital francesa circula uma petição a exigir o fim dos ‘cadeados do amor’.

A ‘Pont des Arts’ (Ponte das Artes), em Paris (França), esteve encerrada durante o fim de semana por amor. Parte da estrutura cedeu devido ao peso dos ‘cadeados do amor’, uma tradição que está a transformar-se em maldição.

O costume manda os apaixonados prenderem um cadeado no gradeamento da ponte, como sinal da união do casal. Só que, quando a ‘Pont des Arts’ foi projetada, ninguém conseguiria prever que surgisse esta tradição, repetida em milhares e milhares de cadeados cujo peso, acumulado, coloca em risco a integridade da estrutura.

No fim de semana, uma parte da grade, com 2,4 metros de comprimento, não resistiu ao excesso de peso do amor e cedeu, obrigando as autoridades a evacuar e a encerrar a ponte.

Há quem não esteja contra o amor, mas com esta forma de o demonstrar. Por Paris circula uma petição a exigir o fim dos ‘cadeados do amor’ nos locais públicos (e turísticos) mais visitados: é que a tradição também já chegou ao alto da Torre Eiffel.

Esta “praga para nossos locais e pontes históricos”, como realça o texto da petição, não passa de vandalismo que pode colocar em causa a saúde das pessoas que necessitam de atravessar a ponte para efeitos mais mundanos do que namorar, nomeadamente ir para o trabalho.

“Isto é visível na ‘Pont des Arts’, que foi terrivelmente degradada, tanto visualmente quanto estruturalmente. Em alguns anos, o coração de Paris tornou-se feio, o que rouba dos parisienses a qualidade de vida e a habilidade de desfrutar seguramente dos espaços públicos ao longo do rio Sena, que também foi poluído com milhares de chaves descartadas”, indica a petição.

É que a tradição nem sempre corre bem e muitas vezes um dos apaixonados (não correspondido) lança a chave para as águas do rio Sena, num gesto simbólico para manter a união (do cadeado).

“Chegou a hora de banir os ‘cadeados do amor’ para trazermos de volta a beleza e função originais das nossas pontes”, conclui o texto da petição.

O documento ainda não chegou às autoridades, mas a Câmara de Paris admite, no site, que o hábito pode ser prejudicial para a cidade: “é maravilhoso ver esta vasta quantidade de casais apaixonados. Contudo, o ritual está provocando diversos problemas devido ao peso de milhares cadeados de metal”.

Em destaque

Subir