Mundo

O mundo continua a discutir a orientação sexual de dois fantoches

Os fãs sempre se perguntaram se as personagens Egas e Becas da Rua Sésamo seriam gays, uma dúvida que foi agora esclarecida por um dos guionistas do famoso programa infantil de televisão, que confirmou que os fantoches são namorados. Porém, a Sesame Workshop desmente, alegando que os bonecos não têm orientação sexual. Esta novela, que suscita boatos há anos, continua a correr o mundo.

Numa entrevista publicada no domingo, no site LGBT ‘Queerty’, Mark Saltzman, um dos autores, respondeu à pergunta sobre se Egas (Ernie) e Becas (Bert) eram homossexuais.

Saltzman explicou que, quando escreveu Becas e Egas, sempre sentiu que eles eram um casal de namorados, e que, de certa forma, eram mesmo inspirados na sua relação com “o amor da [sua] vida”, Arnold Glassman, que morreu em 2003.

“Eu acho que nunca os poderia ter escrito sem ser como um casal amoroso”, acrescentou, afirmando que a própria “dinâmica” entre os dois companheiros de quarto, na série de televisão, refletia a sua com o companheiro, um “caótico” e o outro “obsessivo-compulsivo”.

Reagindo a estas declarações, a organização sem fins lucrativos Sesame Workshop, responsável pela criação desta série de culto, adaptada em várias línguas e distribuída em todo o mundo, há quase 50 anos, veio negar que Egas e Becas sejam um casal gay, afirmando que as duas personagens não têm “orientação sexual”.

A Sesame Workshop garantiu que Egas e Becas eram apenas “melhores amigos”:

“Eles foram criados para ensinar às crianças do jardim infantil que as pessoas podem ser amigas de outras muito diferentes delas”, afirmou a organização, num comunicado publicado no Twitter.

“Mesmo que sejam identificados como personagens masculinos e tenham muitas características humanas (como a maioria dos bonecos da ‘Rua Sésamo’), ainda são fantoches e não têm orientação sexual”, acrescentou.

A organização veio posteriormente esclarecer, também no Twitter, que a “Rua Sésamo” sempre “apoiou a inclusão e a tolerância”, mas insistiu que “Becas e Egas são melhores amigos”.

A Sesame Workshop já havia negado, em 2011, que os dois fantoches fossem homossexuais, em resposta a uma petição lançada na altura para que Egas e Becas se casassem durante um dos episódios.

O assunto transformou-se, desde então, numa verdadeira novela, que conheceu novos capítulos com a declaração de Mark Saltzman e a reação da Sesame Workshop.

Independentemente de quem tiver razão, não deixa de ser curioso que o mundo continue a discutir a orientação sexual de dois fantoches.

Mais partilhadas da semana

Subir