Nacional

“O Luís também não me era leal”, garante Rosa Grilo

Rosa Grilo acusou o marido (que alegadamente matou) de a ter traído. “O Luís também não me era leal”, acusou: “Teve vários relacionamentos”.

Em prisão preventiva, a viúva do triatleta deu mais uma entrevista (agora à revista Nova Gente), agora para justificar o relacionamento extraconjugal com António Joaquim, também suspeito do homícidio de Luís Grilo.

“Eu mantive a relação com o António porque é alguém que me apoiava e dava carinho que deixei de ter da parte do Luís. Só o menino [o filho] nos ajudou a ficar juntos, já que nem eu nem o Luís sequer colocámos a hipótese de nos separarmos”, explicou.

“Não íamos destruir tudo o que passámos juntos”, insistiu Rosa Grilo.

A viúva de Luís Grilo cumpre prisão preventiva na cadeia de Tires, onde não precisa de “inventar” coisas para o tempo passar.

“Sou muito ativa, quando não tenho que fazer invento. Gosto muito de ler e escrever, frequento os recreios no exterior”, salientou.

Na prisão, a viúva tem recebido visitas, entre outros, do sobrinho do homem que alegadamente matou.

“O sobrinho do Luís continua a visitar-me para ouvir o que falo com o meu filho”, revelou.

Foi na cadeia que Rosa Grilo conheceu e se tornou amiga de Diana Fialho, a jovem suspeita de matar a mãe adotiva à martelada, no Montijo, com posterior queima do corpo.

“Por ironia do destino, entrei em Tires poucos dias depois da Diana e ficámos as duas na admissão. Falamos de coisas banais”, desvendou.

Na mesma entrevista, Rosa Grilo voltou a reiterar estar inocente.

“Não estou envolvida na morte do meu marido”, garantiu: “Infelizmente, presenciei o momento em que assassinaram o Luís. É algo que ainda me custa acreditar”.

Mais partilhadas da semana

Subir