Nas Redes

O apelo viral por leite especial para bebé de 6 meses internada com diagnóstico reservado

Uma bebé de 6 meses que necessita de um leite especial está na origem de um apelo dramático. Através do Facebook, muitos heróis anónimos têm ajudado a “mãe em desespero”, “o pai a lutar para erguer a mãe” e a irmã que tem de ser “distraída para que não perceba o sofrimento que a envolve”.

O apelo, que tem viralizado nos últimos dias, foi lançado no final de janeiro pela página O Alergias, que sensibiliza para “a inclusão social das crianças alérgicas”.

Uma bebé de 6 meses, que se encontra “internada com diagnóstico reservado”, é alimentada em exclusivo com um leite especial cuja lata, de 400 gramas, custa cerca de 38 euros.

Essa alimentação é comparticipada pelo hospital enquanto a bebé estiver internada. Depois… “não há leite”, avisa a página.

“Fazendo as contas, são duas a três latas por semana”, o que por mês significa um custo entre os 450 a 500 euros, isto “se a bebé nem comer muito”.

“Com esta bebé de 6 meses está também uma mãe em desespero sem saber como alimentar a filha, está um pai a lutar para erguer a mãe e está uma mana a ser distraída para que não perceba o sofrimento que a envolve”.

Trata-se de um caso real que acontece num “estado desgovernado”, que “sabe mas finge não saber” que os leites de alimentação especial não são comparticipados, acusa a página.

“Neste país é preciso ser-se muito muito pobre para receber uma lata de leite das entidades que se apelidam de sociais, das governadas por quem socializa à mesa e deixa outros sem nada na mesa”, refere também o apelo.

A bebé terá de ser alimentada em exclusivo com esta fórmula especial até aos 12 meses. São “cerca de 2700 euros” que a família não consegue pagar.

A ajuda só é aceite em género. As latas devem ser enviadas para a morada de O Alergias, página que recusa qualquer valor monetário ou transferência, aceita “apenas leite”.

“Por ser um leite caro, juntem-se entre amigos, família, organizem recolhas nas empresas e enviem-nos”, aconselha a página.

“Eu sei o que é o sofrimento e a angústia de não ter leite para um filho. Por favor, ajudem-me a que esta família não sinta essa dor”.

Mais partilhadas da semana

Subir