Ciência

Nova cápsula espacial CST-100 Starliner a caminho da Estação Espacial Internacional

A CST-100 Starliner, construída pela Boeing, está a fazer hoje o seu último voo de teste, incluindo a acoplagem à EEI, e poderá vir a transportar os primeiros astronautas da agência espacial dos Estados Unidos (NASA) no verão do próximo ano, anunciou a construtora aeroespacial.

A cápsula partiu para o espaço impulsionada por um foguetão Atlas V, e seis minutos após o lançamento estava a viajar a mais de 19.000 km/hora, anunciou a sala de controlo da missão.

A CST-100 Starliner tem a acoplagem à EEI prevista para cerca de 25 horas após o lançamento.

“Estamos a entrar numa nova era”, disse Jim Bridenstine, administrador da NASA.

O novo veículo espacial, para cujo desenvolvimento a Boeing recebeu da NASA quatro mil milhões de dólares, será a primeira cápsula espacial dos Estados Unidos a aterrar no solo – as cápsulas do programa Apollo caíam no oceano – e deverá ser reutilizada para uma segunda missão.

Informação divulgada pela Boeing indica que a CST-100 Starliner, com cinco metros de altura e 4,5 metros de diâmetro, pode transportar até sete pessoas. O gigante da indústria aeronáutica anunciou que pretende vender lugares a bordo da cápsula destinados a investigadores particulares ou turistas.

Durante a missão de oito dias até ao regresso à Terra, todos os sistemas da CST-100 Starliner serão testados, incluindo os impactos nos futuros tripulantes através dos sensores integrados no boneco de teste Rosie que segue a bordo vestida com um fato de macaco azul e usando na cabeça um lenço vermelho com bolas brancas, numa evocação da operária que ilustrava um poster de mobilização dos americanos para o esforço de produção industrial durante a segunda guerra mundial com a frase “we can do it” (nós conseguimos).

“Ela é forte. Vai testar os extremos por nós”, disse Mike Fincke, um dos três astronautas selecionados para o primeiro voo tripulado da Starliner.

A cápsula leva também a bordo presentes de Natal e guloseimas para os seis astronautas atualmente a bordo da EEI e 500 sementes de árvores semelhantes às que voaram para a lua na missão Apollo 14, em 1971.

0Shares

Em destaque

Subir