Nas Notícias

“Nego as acusações de que sou alvo”, revela Ronaldo sobre alegada violação

Cristiano Ronaldo quebrou o silêncio e reagiu às notícias sobre uma alegada violação cometida, em 2009, em Las Vegas. O internacional português nega as acusações de que tem sido alvo”.

“Nego terminantemente as acusações de que sou alvo”, começa por salientar numa mensagem deixada ao mundo através das redes sociais e também partilhada pela Gestifute, que gere a carreira do português.

Ronaldo tece depois comentários sobre o que considera serem as violações:

“Considero a violação um crime abjeto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito”.

O internacional português avisou ainda que não irá alimentar aquilo que apelida de “espectáculo mediático”.

“Não vou alimentar o espectáculo mediático montado por quem se quer promover à minha custa”, revelou, aguardando agora com a certeza de que nada lhe “pesa na consciência”.

“Aguardarei com tranquilidade o resultado de quaisquer investigações e processos, pois nada me pesa na consciência”, refere ainda.

A polícia de Las Vegas, recorde-se, reabriu a investigação sobre as acusações de violação apresentadas por uma mulher norte-americana contra Cristiano Ronaldo, por factos que remontam a 2009.

“O caso foi reaberto e os nossos investigadores estão a analisar as informações dadas pela vítima”, disse a polícia na segunda-feira, acrescentando que em 13 de junho de 2009 foi apresentada uma queixa e que a sua autora foi submetida a um exame médico, mas não forneceu dados sobre os factos alegados nem a descrição do suspeito.

Kathryn Mayorga, agora professora com 34 anos, apresentou queixa a semana passada num tribunal do condado de Clarck, Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada.

A queixosa alega que naquela data foi violada pelo agora jogador da Juventus num quarto de hotel em Las Vegas, ao qual terá subido, junto com outras pessoas, para apreciar a vista e a banheira de hidromassagem.

A suposta vítima relatou que Cristiano Ronaldo a terá interpelado enquanto trocava de roupa e a terá forçado a sexo anal – no fim, conta, o português ter-se-á desculpado e dito que costuma ser um cavalheiro.

O caso foi divulgado pela revista alemã Der Spiegel, a 28 de setembro, na primeira vez que Kathryn Mayorga falou sobre o caso – a história já tinha sido revelada em 2017, em documentos difundidos pela plataforma digital Football Leaks.

Kathryn conta ainda que na altura terá sido coagida a assinar um acordo de confidencialidade a troco de cerca de 325 mil euros (375 mil dólares), assentimento que os seus advogados consideram não ter valor legal.

A imprensa internacional, recorde-se, já partilhou fotos dessa noite, na qual Ronaldo se animou em espaços de diversão noturna.

https://playbuffer.com/watch_video.php?v=B2H8456B6GNY

6Shares

Mais partilhadas da semana

Subir