Ciência

A nave tripulada da China esteve um mês no Espaço e voltou à Terra com sucesso (vídeo)

Voltou com sucesso à Terra a nave chinesa que cumpriu a mais longa missão tripulada do país no Espaço. Os astronautas Jing Haipeng e Chen Dong, de regresso, são os novos heróis da China.

Não é feriado na China, mas quase. A nave Shenzhou-11 pousou com sucesso na Mongólia Interior na manhã de hoje (eram 6h00 em Portugal continental), trazendo de volta à Terra os dois astronautas chineses que mais tempo passaram no Espaço.

“É o mais recente feito do povo chinês ao trepar ao topo do mundo”, anunciou o Comité Central do Partido Comunista Chinês, num comunicado lido por Zhao Gaoli, o vice-primeiro-ministro, no centro de controlo da agência espacial, em Pequim.

Ao longo de um mês, Jing Haipeng e Chen Dong trabalharam no Tiangong-2, o laboratório que a China montou em órbita e que será parte integrante da futura estação espacial Tiangong, uma ‘área de serviço’ para a futura missão, a realizar ainda esta década, que vai colocar uma sonda em Marte.

Esta foi a sexta missão tripulada da agência espacial chinesa, mas os bons resultados obtidos (basta lembrar que a primeira missão tripulada foi só há 13 anos) comprovam que o ‘império do meio’ quer mesmo tornar-se numa potência espacial.

Prova disso é o objetivo de, em 2022, ter uma tripulação permanente no Espaço, que irá operar fora da Terra por uma década (no mínimo).

“Este êxito mostra que o nosso programa espacial alcançou importantes novos progressos e é o mais recente feito na construção de um país voltado para a inovação e uma potência mundial na área da ciência e tecnologia”, dizia ainda a mensagem do Comité Central.

Sem lugar na Estação Espacial Internacional (EEI), por veto dos EUA (que teme o uso militar da tecnologia espacial), a China tem mostrado abertura para que outros países entrem na corrida ao Espaço.

0Shares

Em destaque

Subir