EUA

Nasceu no século XIX, morreu no XXI. A mulher mais velha do mundo tinha 116 anos

A ‘miss Susie’, de 116 anos, era a pessoa mais velha do mundo, título que agora ‘cedeu’ a uma italiana. Susannah Mushatt Jones, que nasceu no século XIX, morreu no lar onde vivia há mais de 30 anos, em Brooklyn, após cerca de dez dias a lutar contra uma indisposição.

De acordo com os dados registados no livro de recordes do Guinness, que a reconhecia como a mulher mais velha do mundo, Susannah Mushatt Jones nasceu a 7 de julho de 1899 em Lowndes County, uma cidade rural perto de Montgomery, no Alabama (EUA).

Estudou numa escola para jovens negras e começou a trabalhar como ama, no longínquo ano de 1922, pouco após ter concluído os estudos.

Mudou-se para Nova Iorque e trabalhou como educadora de infância até à reforma, em 1965.

A longevidade, segundo uma sobrinha explicou em várias entrevistas, devia-se “ao amor pelo próximo”, a dormir bem e a não fumar nem beber.

Porém, ‘miss Susie’ era aquilo que em Portugal se designa por ‘um bom garfo’: adorava comer, sobretudo bacon.

Susannah Mushatt Jones casou (uma única vez), mas não teve filhos. Somou, porém, mais de uma centena de sobrinhos…

No ano passado, a morte da japonesa Misao Okawa (que estava prestes a celebrar os 117 anos) tornou ‘miss Susie’ na pessoa mais velha do mundo e uma das cinco pessoas nascidas no século XIX ainda vivas.

‘Sobra’ agora a ‘nova’ pessoa mais velha do mundo, a italiana Emma Morano-Martinuzzi, de 116 anos.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir