Desporto

“Eles sabiam, pelo menos desde 1 de agosto, que estavam a ir contra a lei”, diz Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho, que se deslocou hoje a Alvalade com um alegada providência cautelar que o reconhece como presidente do Sporting, falou aos jornalistas esta noite, em Lisboa, onde referiu

Momentos após a conferência de imprensa da Comissão de Gestão do Sporting, onde Torres Pereira referiu que Bruno de Carvalho foi a Alvalade “mentir”, o ex-presidente dirigiu-se aos jornalistas para explicar os recentes incidentes.

“Desde o dia 1 de agosto os agentes, ou as gentes, de Marta Soares, não podem ignorar que os os atos da deliberação da Assembleia-Geral são nulos ou inexistentes”, começou por dizer, lendo a alegada providência cautelar.

Sobre a alegada ordem de expulsão que recebeu nas instalações de Alvalade, o dirigente destituído referiu que “não houve nem poderia haver qualquer ato de expulsão”.

“Não houve nem poderia haver qualquer ato de expulsão. Acresce que na pendência da anómala situação, os membros da Direção não precisam de estar presentes nas instalações para proteger os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal”, atirou.

Relativamente à conferência de imprensa da Comissão de Gestão do Sporting, Bruno de Carvalho referiu que Torres Pereira “é um homem” que o habituou a uma “verborreia cheia de nada” e que o que disse não passou de “um conjunto de chavões”.

Apesar de se reconhecer como presidente, Bruno de Carvalho admitiu que não vai estar presente na tribuna, no duelo frente ao Vitória de Setúbal.

“Claro que não vou estragar o jogo a ir para uma tribuna onde não sou bem-vindo por pessoas que não me reconhecem. Por isso, é lógico que não vou”, referiu.

O presidente destituído respondeu ainda a Sousa Cintra, que se disse cansado da “palhaçada”, considerando as declarações de uma “má educação tremenda” e ‘ameaçando’ partilhar umas fotos do atual presidente da SAD leonina, captadas no seu casamento.

“Estamos com um problema grave porque eles, pelo menos desde dia 1 de agosto, sabiam que estavam a ir contra a lei”, referiu o presidente destituído quando questionado sobre os contratos assinados por Sousa Cintra enquanto presidente.

Bruno de Carvalho, recorde-se, dirigiu-se esta sexta-feira a Alvalade para reclamar a presidência do Sporting, fazendo-se acompanhar de uma alegada providência cautelar que, alegadamente, o reconhece como tal.

Mais partilhadas da semana

Subir