Nacional

“Não devo um tostão a ninguém”, dispara Cristina Ferreira

Num texto de balanço da sua revista, Cristina Ferreira orgulha-se de ter salários em dia e lamenta que “infelizmente no meio há muitos jornalistas sem receber há meses”. Subentende-se nesta frase uma crítica a outras publicações, com as quais a apresentadora mantém diferendos.

Cristina Ferreira escreveu um texto no seu blogue, onde faz um balanço a três anos de um projeto que começou com alertas estimulantes.

“Quando decidi aceitar ter uma revista em nome próprio sabia das dificuldades do mercado, aliás, muitos me chamaram maluca, adivinhando uma caminhada cheia de obstáculos”, escreve.

O tempo deu razão à sua ousadia: “Devo confessar que, hoje em dia, este é o meu projeto do coração, o que me tem dado mais alegrias, o maior sentimento de realização e crescimento”.

“A cada edição fechada, a cada entrevista conseguida, festejo como se me tivesse saído o Euromilhões”.

Cristina Ferreira elogia a equipa que a acompanha e destaca a qualidade desses profissionais. E faz uma revelação:

“Quando assumi sozinha e criei a minha própria editora disse-lhes que a única coisa que me interessava era pagar-lhes no final do mês e sentirmos que estávamos a fazer um bom trabalho. Não devo um tostão a ninguém (infelizmente no meio há muitos jornalistas sem receber há meses) e são cada vez mais as pessoas que falam da qualidade da revista”, conta.

A apresentadora assume que o projeto está em permanente risco. E salienta que as vendas não são boas. “Vendemos mais ou menos”, confessa.

Mas há outras conquistas: “Fazemos barulho sempre. Falam de nós sempre. Ajudamos a mudar mentalidades. Isso ninguém nos tira. E continuaremos. Pela confiança de muitos. Pelas marcas que nos ajudam todos os meses. Pelas pessoas que nos lêem sempre. Por quem só nos espreita às vezes. Pelos que nunca viram mas rejeitam. Mas acima de tudo, porque acreditamos. E porque acreditam em nós”.

Mais partilhadas da semana

Subir