Mundo

Muro que separa fronteira entre Israel e Líbano começou a ser construído

muro_israel_libanoPedra sobre pedra, nasce um muro que vai separar a fronteira entre Líbano e Israel, ao longo de mais de um quilómetro. O exército israelita, com o apoio do exército libanês (e sob coordenação da Força Interina das Nações Unidas no Líbano), já começou a erguer o muro, com o objetivo de evitar tiroteios que ocorrem na fronteira.

O Líbano e Israel vão ter uma fronteira fortificada, com uma barreira que o exército israelita, apoiado pelos militares libaneses, está a erguer nos limites geográficos de cada país, afim de evitar problemas naquela zona.

O início da construção do muro já foi anunciado. Trata-se de uma parede que se estende ao longo de um quilómetro, até localidade israelita de Metula, e que pretende aumentar a segurança, protegendo o território israelita.

“A construção já começou e é realizada em coordenação com a Força Interina das Nações Unidas no Líbano e com o exército libanês”, adiantou à France Presse um porta-voz do exército de Israel.

Durante os últimos tempos, têm-se repetido episódios de disparos provenientes do Líbano, na localidade de Kfar Kila, em direção a Metula (Israel). Desde janeiro que se aventava a possibilidade de separar estas regiões com uma parede.

“Este muro tem como objetivo impedir disparos do lado libanês para o lado israelita. Nos últimos 18 meses, verificaram-se inúmeros incidentes deste género”, referiu à rádio oficial de Israel um dos oficiais que tentam manter a paz na fronteira.

A edificação deste muro entre Israel e Líbano deverá demorar algumas semanas, apenas, apesar de extensão da parede, cuja altura atinge cerca de três metros. Os dois países estão em conflito, sob atenta vigilância da Força Interina das Nações Unidas no Líbano.

Este litígio tem um histórico recente, com a guerra que opôs Israel e o Hezbollah, um movimento xiita libanês que realiza diversos ataques na zona fronteiriça que separa Israel e Líbano­.

O muro construído pelos exércitos pretende evitar esses episódios de tiroteios, ainda que a paz seja ainda uma miragem na região.

Em destaque

Subir