Tecnologia

Muita parra, ‘imitações’ e… pouca Apple! Longe vão os tempos áureos da inovação

iphone_6s_aple_apresentaçao

A Apple, com muita poupa e circunstância apresentou ontem ao mudo as suas novidades. Numa plateia com sete mil convidados, a marca de Cupertino mostrou os seus trunfos da tecnologia, embora sem impressionar.

Aliás, com tanto silêncio na plateia, quem estivesse de fora a seguir o evento nem dava conta que estiveram lá sete mil pessoas. Longe vão os tempos da inovação e do entusiasmo dos fãs da marca.

A Apple não anunciou nada de novo. Os produtos apresentados foram sendo revelados ao longo do tempo. Começa a ser difícil à Apple, e não só, guardar segredo sobre os produtos que vai lançar.

Novidade mesmo foi a Apple TV, um serviço que está em claro crescimento e que pode, no futuro próximo fazer concorrência às consolas de jogos, e não só! A Sony e a Microsoft que se cuidem…

A primeira apresentação o Apple Watch. Aqui nada de novo e a Apple não se arriscou em revelar números de venda do seu antecessor, dizendo, no entanto, que 97 por cento dos consumidores dos consumidores do Apple WAtch se mostram satisfeitos com o mesmo.

O iPhone 6S apresentou algumas melhorias, como o 3D Touch e o Live Photos (uma imitação daquilo que já existia nos Lumias da Nokia/Microsoft com a tecnologia PureView) e uma melhoria no processador, para além de várias cores com o intuito de alcançar outros utilizador. No entanto, a relação/preço quando comparado com o iPhone 6 não justifica, de todo, o investimento neste novo equipamento.

Chegamos ao iPad Pro e aqui temos de ser honestos e olhar para trás, para o que já existia no mercado. A Apple imitou claramente o Surface da Microsoft, ao oferecer um tablet de 12’ com teclado, com um único diferencial, o iOS não terá o nível de produtividade do Windows 10.

Não podemos dizer que a mar5ca inovou. Como mencionado, a tecnologia Live Photos já existe há muito tempo nos Lumias, embora com outro nome. Também o 3D Touch ou Force Touch (de onde advém a tecnologia) foi apresentado num smartphone primeiro pela Huawei no decorrer da IFA (embora a mesma estivesse presente no Apple Watch).

Resumindo: a Apple não apresentou nenhuma novidade entusiasmante e só deu razão à Microsoft, quer no iPad Pro (que imita o Surface), quer na tecnologia de fotos implementada nos Lumias de gama média/alta. Longe vão os tempos de Steve Jobs, longe vão os tempos áureos da inovação. Onde vai esta Apple?

 

Em destaque

Subir