Nas Notícias

Motociclos envolvidos em acidentes aumentaram 80 por cento em janeiro

Os ciclomotores e motociclos envolvidos em acidentes rodoviários aumentaram 80% em janeiro face ao mesmo período de 2019, mas todos os indicadores da sinistralidade baixaram no primeiro mês de 2020, foi hoje divulgado.

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) passou a disponibilizar a partir de hoje relatórios mensais detalhados e integra, pela primeira vez, os indicadores dos acidentes nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

O relatório de janeiro hoje divulgado mostra que o número de acidentes rodoviários em janeiro foi de 2.943 e provocaram 31 mortos, 146 feridos graves e 3.259 feridos ligeiros.

Em relação ao mesmo mês de 2019, registaram-se menos 14 acidentes rodoviários com vítimas (-0,5%), menos 17 mortos (-35,4%), menos 27 feridos graves (-15,6%) e menos 263 feridos ligeiros (-7,5%).

Apesar da redução dos dados da sinistralidade verificada no Continente e na Madeira, nos Açores observou-se um agravamento de mais cinco acidentes com vítimas, mais uma vítima mortal e um ferido grave e mais de 20 feridos graves em relação a período homólogo de 2019.

O relatório da ANSR faz, no entanto, uma análise mais pormenorizada aos desastres ocorridos em janeiros nas estradas do Continente, onde se registaram 2.825 acidentes com vítimas (menos 0,4% face a ao mesmo mês de 2019), 30 mortos (menos 33,3%), 130 feridos graves (menos 16,7%) e 3.121 feridos ligeiros (menos 8,2%).

De acordo com o mesmo documento, os acidentes que envolveram ciclomotores e motociclos aumentaram 80% em janeiro face ao mesmo mês de 2019, totalizando 1.016, sendo, no entanto, os automóveis ligeiros que mais estiveram envolvidos em desastres.

“Entre 2016 e 2020, com exceção do número de acidentes com vítimas, que sofreu um aumento de sete por cento, todos os indicadores da sinistralidade apresentaram uma tendência decrescente”, indica o documento, frisando que, em janeiro, a colisão foi o tipo de desastre mais frequente, mas o maior número de vitimas mortais resultou de atropelamentos.

Segundo a ANSR, face ao mês de janeiro de 2019, há mais quatro vítimas mortais e uma redução de 28 feridos graves por atropelamento, bem como uma diminuição de oito a 11 mortos ocorridos em colisões e despistes.

A maioria dos acidentes com vítimas e do número de mortos ocorreu em arruamentos, continuando a predominar os desastres dentro das localidades.

A Segurança Rodoviária indica também que, no primeiro mês do ano, 46,7% de total de vítimas mortais registou-se entre os peões, seguido dos condutores (40%) e passageiros (13,3%).

Estes dados dizem respeito aos óbitos ocorridos no local do acidente ou durante o seu transporte para o hospital.

O relatório do primeiro mês do ano avança também com dados da fiscalização, dando conta que foram fiscalizados cerca de 12 milhões de veículos, mais 60,7% do que em janeiro de 2019, que resultaram em mais de 132 mil infrações, o que representa um aumento de 12,9%.

Segundo a ANSR, mais de metade (58,7%) das infrações registadas em janeiro é referente a excesso de velocidade.

Em destaque

Subir