Internacional

Morreu cabeleireiro francês Jean-Louis David que também tinha salões em Portugal

O pioneiro dos cabeleireiros franchisados e inventor do ‘dégradé’, Jean-Louis David, morreu hoje aos 85 anos, na Suíça, informou o grupo Provalliance, que detém a marca do cabeleireiro francês.

Nascido em 24 de março de 1934 no seio de uma família de cabeleireiros originários de Grasse, no sudoeste da França, David lançou-se no negócio em Paris no início dos anos 50, idade de ouro dos “cabeleireiros artistas”.

Jean-Louis David estreou-se nesta profissão no salão Gabriel Garland, que pertencia ao dono da revista de cinema Cinemundo, o que lhe permitiu estar em contacto com as atrizes do momento, destacou o diário Le Figaro na sua edição digital.

Jean-Louis David abriu o seu negócio em 1961, na luxuosa avenida Wagran, da capital francesa, e nove anos depois revolucionou o setor com a técnica do corte em ‘dégradé’, tendo inicialmente sofrido críticas devido ao estilo semidespenteado.

Na sua época dourada foi eleito cabeleireiro oficial do Festival de Cannes.

A sua marca própria de salões de cabeleireiros nasceu em 1976 e espalhou-se por todo o mundo, tendo também espaços em Portugal, e foi o próprio David a elaborar o desenho dos mesmos, das fotografias dos catálogos ou dos vídeos em que ensinava a sua técnica a diferentes franchisados.

David, que se classificava como um artesão e não como um artista, conheceu o sistema empresarial de ‘franchising’ nos Estados Unidos e importou-o com êxito para França, passando logo a outros países, como Espanha, Itália e Portugal.

Em Portugal, tem 37 salões, de acordo com o sítio na internet do ‘franchising’.

Mais partilhadas da semana

Subir