África

Morreram 11 pessoas em apenas 24 horas vítimas de ébola na RDCongo

O vírus Ébola causou a morte de 11 pessoas em apenas 24 horas na província de Kivu Norte, no nordeste da República Democrática do Congo (RDCongo), de acordo com dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde congolês.

As mortes devido ao contágio foram registadas em Katwa (sete), Mabalanko (duas) e Butembo (outras duas), elevando para 814 o total de mortos no registo do Ministério da Saúde da RDCongo de 14 de abril.

De entre os óbitos, 748 foram confirmados após análises laboratoriais como contaminados com o vírus Ébola e 66 dados como prováveis.

Também no período de 24 horas (13 para 14 de abril) constatou-se um aumento do número de casos de contágio, com mais 13 pessoas a contraírem o vírus Ébola, que se transmite através do contacto direto com fluidos corporais e provoca febres hemorrágicas,

O controlo da epidemia tem sido prejudicado pela atitude de algumas povoações que recusam receber tratamento, sobretudo em zonas onde operam grupos armados.

Na semana passada, a Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICR, na sigla em francês) advertiu que o ébola na RDCongo está a propagar-se de forma rápida.

A Organização Mundial de saúde (OMS) declarou na sexta-feira estado de emergência internacional, face ao aumento do número de casos nas duas últimas semanas.

A declaração internacional do estado de emergência sobre casos de saúde pública implica o aviso formal aos governos no sentido da mobilização de recursos para as regiões afetadas.

O mais devastador surto de ébola a nível mundial foi registado em março de 2014, na Guiné Conacri, Serra Leoa e Libéria.

Dois anos depois, em janeiro de 2016, a OMS declarou o fim da epidemia, que provocou a morte a 11.300 pessoas, sendo que, no total, foram contagiadas 28.599 pessoas.

Mais partilhadas da semana

Subir