Nas Notícias

Monster investigada pelas autoridades após suspeita de influir em cinco mortes

MonsterA Monster, uma bebida enérgica com altos teores de cafeína e cola, terá tido influência na morte de cinco consumidores? O regulador norte-americano suspeita que sim e abriu uma investigação, embora realce que “não há provas determinantes” contra a bebida.

A Monster, uma bebida energética com um teor de 240 mg de cafeína por lata (o equivalente a três cafés), é suspeita de ter tido influência na morte de cinco consumidores nos últimos três anos, o que levou o regulador dos medicamentos e alimentos (FDA) a abrir uma investigação. O caso ganhou maior notoriedade com os resultados da autópsia a Anais Fournier, uma adolescente de 14 anos que morreu por “envenenamento por cafeína”, tendo bebido duas latas antes de sofrer o ataque cardíaco.

Apesar de todas as suspeitas – a Monster tem três vezes mais cafeína do que a principal concorrente, a Red Bull, e mais sete do que uma cola –, a FDA ressalva que “ainda não há provas determinantes de que a bebida energética tenha sido a causa das fatalidades”. A empresa negou conhecer “qualquer fatalidade causada pela bebida”.

Este tipo de bebidas energéticas é bastante popular entre os adolescentes norte-americanos, quer para manter um estado de alerta em alturas de maior estudo, quer para descomprimir em ambiente de festa. Isto devido aos elevadores teores de cafeína, tal como sustenta o relatório do instituto de medicina legal: Anais Fournier morreu de arritmia cardíaca porque as elevadas doses de cafeína interferiram na capacidade do coração de bombear sangue.

Em destaque

Subir