Nas Notícias

Modelo que caiu do 15.º andar deixa carta; pais não reconhecem letra

 

Modelo Jeniffer Viturino, que caiu do 15.º andar de um edifício em Lisboa, deixou uma carta, mas os pais retiram qualquer crédito à missiva. “Não reconhecemos a letra”, referem, afastando a teoria de suicídio. Autópsia à jovem brasileira, de 17 anos, revela sinais de agressão. Namorado diz-se inocente.

Segundo o Correio da Manhã, os pais da jovem modelo brasileira que morreu após queda de um edifício no Parque das Nações (propriedade do seu namorado) não dão qualquer crédito à carta que Jeniffer Viturino deixou.

“Não reconhecemos a letra da minha filha naquela carta”, afirmam os pais de Jeniffer Viturino, que não acreditam nem na carta, muito menos num suicídio. Nessa missiva, a jovem fazia um pedido de desculpa, mas sentia-se “farta de ser maltratada pelo namorado”. 

A jovem caiu do 15.º andar de um apartamento propriedade do seu namorado, que se torna um dos principais suspeitos da Polícia Judiciária, que investiga o crime.

No entanto, o namorado (empresário ligado ao ramo da moda e com uma herança num negócio da aviação) confirmou que a modelo se suicidou, em declarações ao Correio da Manhã.

Durante a autópsia, o Instituto Médico Legal encontrou diversos hematomas e outros sinais de agressão na jovem, o que faz com que a tese de suicídio perca força. Agora, as declarações dos pais da jovem brasileira reforçam as suspeitas das autoridades portuguesas.

Jeniffer Viturino sofreu uma brutal queda, envolta em suspeitas, reforçadas com a carta divulgada agora. Os vizinhos testemunham que a casa “era frequentada por meninas bonitas” e outras figuras públicas.

 

Em destaque

Subir