África

Moçambique lança projeto de construção de 35 mil casas para jovens e funcionários públicos

O Governo moçambicano e a empresa chinesa CITIC lançaram hoje em Maputo um projeto de construção de 35 mil casas em todo o país destinado a jovens e funcionários públicos, a partir de 2020.

“É o culminar de um ano de várias rondas de negociação entre Maputo e Pequim por forma a que se chegasse a um modelo de parceria em que nenhuma das partes saísse a perder e em que ganhassem os jovens e funcionários públicos que ainda não têm casas condignas”, disse o ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Osvaldo Machatine.

O governante falava em Maputo na cerimónia de lançamento da iniciativa.

No âmbito do projeto, a empresa CITIC será responsável por mobilizar financiamento e construir as casas.

A zona sul do país vai beneficiar de 15 mil casas, o centro 10 mil e o norte as restantes 10 mil casas.

O Governo moçambicano garante que as casas serão acessíveis, custando entre 26 mil a 35 mil euros, a serem pagos “a longo prazo”.

“A ideia é criar um modelo de acessibilidade para esses jovens. A situação do preço está acautelada em função da duração do pagamento”, Armindo Munguambe, presidente do Fundo de Fomento à Habitação, uma entidade do Governo moçambicano.

As partes signatárias do projecto remeteram para dentro de um ano o anúncio do valor global da empreitada.

Mais partilhadas da semana

Subir